Moradores denunciam abandono espaço comunitário de Ceilândia.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Ceilândia: Moradores denunciam abandono espaço comunitárioFoto: Oswaldo Reis

Não falta interesse da vizinhança pelo espaço comunitário da QNM 10 Conjunto F de Ceilândia Norte, mas – aparentemente – não se pode dizer o mesmo da administração regional. Segundo moradores, o local recebe, diariamente, cerca de 150 pessoas em busca de lazer e esporte. No entanto,

mesmo com o interesse popular, os moradores se queixam do governo, que, de acordo com eles, não está dando a devida atenção ao local.
 
A região oferece uma praça esportiva, um parque infantil, campo de futebol e um Ponto de Encontro Comunitário (PEC). Os brinquedos do parque apresentam sinais visíveis de desgaste, além de oferecerem risco de acidentes para as crianças. Há nove anos, os próprios moradores começaram a montar uma academia pública no espaço. E, mesmo com frequentadores assíduos, o espaço batizado de Na Barra com Amigos não ganhou apoio.
 
A falta de banheiros também preocupa. Moradores contam que existe um sanitário na região, mas o equipamento fica trancado quando não há partida de futebol. As partidas de dominó são feitas em cima de mesas e cadeiras improvisadas.
 
Saúde para todos

A exceção fica por conta do PEC, que apresenta boas condições de uso. “Mas ele só não basta. São equipamentos para pessoas idosas. Precisamos de opções para ajudar a promover a saúde do público em geral”, argumenta o vigilante Eduardo Faustino, 41 anos.
 
Ontem pela manhã os moradores se organizaram para protestar contra o descaso público. “Quando se fala de Ceilândia, você só ouve falar de violência. Queremos que as pessoas saibam que a cidade é uma opção de saúde, mas não temos apoio”, critica Faustino.
 
Do próprio bolso
Os moradores do espaço comunitário tiram dinheiro do próprio bolso para fazer a manutenção do espaço. “A cada dois meses, nos reunimos para juntar dinheiro. Quem mantém esse lugar é a comunidade”, contou o vigilante e morador da região, Ronaldo Lopes, 33 anos.
 
A reportagem do Jornal de Brasília tentou entrar em contato com a Administração Regional de Ceilândia, mas as ligações não foram atendidas.
 
Versão Oficial
O coordenador das Cidades, Francisco Machado, afirmou que a questão da QNM 10 será avaliada. Disse ainda que o governo não deixará de lado a manutenção dos equipamentos existentes. “Não tem sentido construir novos e descuidar dos antigos”, reforçou. Garantiu também que a solução do problema do banheiro está em fase de análise. As informações são do clicabrasília.

Guardian Notícias

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: