MP investiga suspeita de compra de votos nas eleições em Cristalina.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Mais Goiás – O MP-GO (Ministério Público de Goiás) cumpriu, na manhã desta terça-feira (23/10), mandado de busca e apreensão expedido pela juíza Letícia Silva Carneiro de Oliveira, da 36ª Zona Eleitoral, visando coletar provas de supostos ilícitos eleitorais em Cristalina.



Trata-se de procedimento instaurado para apurar a suposta prática de captação ilícita de sufrágio (art. 41-A da Lei nº 9.504/97), a chamada compra de voto, conduta que, conforme explicam os promotores, é sancionada com aplicação de multa, cassação do registro de candidatura ou diploma eletivo e com a inelegibilidade, nos termos da Lei Complementar nº 64/90 e suas alterações pela “Lei da Ficha Limpa”.


A ordem judicial foi cumprida na prefeitura de Cristalina e abrangeu a Secretaria de Obras, Transportes e Infraestrutura, a Companhia Imobiliária de Cristalina (Terracris) e o setor de protocolo da prefeitura. Segundo observam os integrantes do Ministério Público, não houve qualquer embaraço à realização da diligência nos órgãos públicos, tendo os servidores municipais “dispensado toda a atenção necessária ao bom andamento dos trabalhos”.


Foram apreendidos procedimentos administrativos, documentos e computadores que serão analisados minuciosamente pelos promotores responsáveis pela investigação. Os computadores, inclusive, devem ser submetidos à necessária perícia.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: