Nota de repúdio do Sinpro: arbitrariedade de policiais civis termina com prisão de orientadora de escola.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) repudia a
ação arbitrária de integrantes da Polícia Civil de Planaltina, que de
forma totalmente ilegal manteve uma orientadora educacional presa por
quase sete horas.
No dia 15 de setembro a orientadora Adriana Teodoro Barreto foi
levada à força por agentes da 16ª Delegacia de Polícia e presa mediante
constrangimento e utilização de força física, sob a alegação de não ter
se identificado aos policiais. Funcionários do Centro de Ensino
Fundamental 04 de Planaltina informaram que os agentes entraram na
escola com o objetivo de obter informações sobre o paradeiro de uma
aluna desaparecida, e em seguida começaram a exigir a retirada de alguns
alunos de sala de aula para que fossem entrevistados. Ao impedir que o
procedimento ilegal fosse feito a orientadora Adriana Teodoro passou a
ser ofendida, sendo inclusive chamada pelos agentes de “orientadorazinha
qualquer”. Não bastassem as ofensas já proferidas pelos agentes,
Adriana ainda foi chamada de criminosa na frente de vários colegas de
trabalho e de representantes do Sinpro-DF  no momento que era liberada.
O Sindicato entrará com uma ação na corregedoria da Polícia Civil por
acreditar que o(a) trabalhador(a) deve ser respeitado(a) em seu local
de trabalho e ter seus direitos garantidos.

Fonte: Blog do Washington Dourado/ Blog do Sombra

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: