Nota do Deputado Chico Vigilante.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Caros,
Há poucos dias, fui informado por amigos, alguns deles funcionários do próprio Jornal de Brasília, que o jornal teria montado uma força-tarefa para levantar dossiês com o objetivo de subsidiar matérias que seriam publicadas contra minha pessoa. Nunca duvidei. Afinal, conheço o Diretor-Superintendente do Jornal de Brasília, senhor Marcos Lombardi, e sei que dele não se pode esperar nada diferente. A matéria de capa publicada na edição de hoje, domingo (29), com informações caluniosas e equivocadas a meu respeito, é a confirmação disso.
De acordo com as informações que recebi, esses dossiês seriam uma forma de retaliação pelo fato de eu ter apresentado na Câmara Legislativa o Projeto de Lei Complementar nº 1/2011 que permite a instalação de postos de abastecimento nos estacionamentos de supermercados, shopping centers e similares.
Como é sabido, o senhor Marcos Lombardi é proprietário da rede de postos Gasoline e seria um dos grandes prejudicados com a entrada em funcionamento de postos operados por grandes redes varejistas.
Desde 2003, com a CPI dos Combustíveis na Câmara Legislativa, da qual fui relator, venho empreendendo uma guerra contra o cartel dos combustíveis do DF do qual o senhor Marcos Lombardi faz parte e se beneficia, perpetrando crimes contra a economia popular. A existência do cartel já foi confirmada por diversas vezes por órgãos do governo federal como a Secretaria de Direito Econômico (SDE) e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) ambos do Ministério da Justiça e, mais recentemente, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pelo próprio Ministro da Justiça.
O senhor Marcos Lombardi é considerado um dos empresários mais inescrupulosos da cidade e o seu patrimônio foi erguido principalmente pela corrupção e ameaças a agentes públicos e políticos. Prova disso é que quase toda sua rede de postos (a Gasoline) foi construída em áreas destinadas a outras atividades que depois foram transformadas em áreas para postos por meio de projetos de leis encomendados a deputados na Câmara Legislativa. Posteriormente, todas essas leis foram consideradas inconstitucionais pelo Tribunal de Justiça (TJ) e, apesar disso, os postos continuam em operação.
Essa é a forma de agir do senhor Marcos Lombardi, aqueles que não pode comprar, ele os ameaça com seu jornal. Essa é concepção que este senhor tem sobre a liberdade de imprensa, um instrumento a serviço de seus negócios.
Ainda que partidas de um diário de pequena circulação, pouca expressividade e de credibilidade duvidosa, repudio todas as denúncias que classifico de caluniosas. Ao contrário do que afirma a matéria, nunca fui procurado pela equipe do Jornal para esclarecer qualquer fato e afirmo que minhas contas de campanha foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e estão à disposição de qualquer pessoa no site do Tribunal.
Por fim, informo que não abrirei mão das minhas convicções, em especial da oposição ao cartel de combustíveis, e que ingressarei na justiça contra o Jornal de Brasília e os responsáveis pela matéria para repor a verdade dos fatos.

Deputado CHICO VIGILANTE (PT)

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: