O plantador de shoppings

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
O empresário Paulo Octávio apresenta o novo empreendimento que será lançado em novembro para toda a população Foto: Toninho TavaresO empresário Paulo Octávio apresenta o novo empreendimento que será lançado em novembro para toda a população
As Organizações Paulo-Octavio lançam, no dia 16 de novembro, seu quinto shopping no Distrito Federal. O Shopping JK, localizado na divisa entre Taguatinga e Ceilândia, tem o objetivo de atender, principalmente, a população ceilandense, que ainda não possui esse tipo de estrutura na cidade. O local terá cerca de 190 lojas, 416 salas comerciais e seis cinemas.


De acordo com o empresário Paulo Octávio, o local foi escolhido devido aos pedidos da população de Ceilândia. “Sempre quando eu vinha em Ceilândia, as pessoas me pediam para fazer um shopping na cidade. Mas faltava um espaço condizente com a necessidade. Um terreno grande. Até que em 2007 nós compramos esse terreno e começamos a desenvolver esse projeto”, explica.


Entre as principais lojas estão marcas famosas como Polishop, C&A, Fujioka e Lojas Americanas. O empreendimento deve ser inaugurado com 90 lojas abertas. Segundo o superintendente do Shopping JK, Sidney Pereira, a expectativa é atender à demanda de público desde o primeiro dia de funcionamento. “Vamos inaugurar no dia 16, já em horário normal, das 10h às 22h. Na inauguração teremos duas salas de cinema funcionando e, até o mês de dezembro, faremos a inauguração das outras quatro salas”, conta. “Esperamos receber um público de um milhão de pessoas ao mês no local”, ressaltou Sidney.


O Shopping JK foi concebido pelo mesmo arquiteto que fez o Taguatinga Shopping. Segundo Paulo Octávio, foram dois anos de estudos para que o empreendimento não impactasse o trânsito e a infraestrutura da região. “No período, geramos milhares de empregos e o mais interessante é que tivemos o reconhecimento da comunidade”, destacou.


De acordo com o empresário, a vizinhança sempre esteve presente nas discussões sobre a implantação do empreendimento. “Esse vai ser um empreendimento que vai auxiliar até mesmo no trânsito, porque as pessoas vão ter mais mobilidade. O local terá unidades médicas, clínicas, escritórios, laboratórios. ”, diz Paulo Octávio.


Segundo ele, um dos pontos mais importantes da participação popular, foi a escolha do nome. “ A princípio, ele se chamaria Ceilândia Shopping, mas isso gerou muita discussão por que ele está situado na divisa entre Ceilândia e Taguatinga”, explica. Com isso, o empresário reuniu-se com moradores antigos da região que ajudaram na escolha do nome. “Fiquei em uma situação complicada. Reuni um grupo de habitantes que me contaram uma história muito interessante: Na época da ditadura, quando foram fazer as quadras, eles fizeram QNL, QNJ, pularam o “K” e fizeram QNM. Isso se deu porque ninguém queria fazer o “J” e o “K”, por conta da perseguição ao Juscelino na época. Então os moradores vieram com a ideia do nome, que além de homenagear o JK, pode destacar essa homenagem que não havia sido feita”.

Empreendimento moderno
Segundo o engenheiro responsável pela obra, Eduardo Sottero, o shopping se diferencia dos outros por ter a estrutura metálica. São praticamente 30 meses de obra, que reuniu cerca de duas mil pessoas. São 416 salas e 116 lojas. O empreendimento tem três níveis de lojas, mais dois níveis de garagem coberta, que tem capacidade para abrigar três mil carros.

De acordo com Edmar Barros, superintendente de shoppings das Organizações Paulo-Octavio, a estrutura do Shopping JK já está construída, enquanto a da torre de salas comerciais deve ser entregue no primeiro quadrimestre de 2014. “A estrutura desse shopping é o mais moderno de Brasília. Cada shopping tem suas especificidades, esse, por exemplo, terá como destaque a iluminação em LED, que é muito mais econômica”, conta.


Paulo Octávio destaca que o shopping foi concebido levando em consideração os aspectos de sustentabilidade: “Uma preocupação minha foi fazer um empreendimento amplo, que não dê aquela sensação de claustrofobia. Outra preocupação foi com a sustentabilidade. Nossa iluminação será em parte natural e parte em LED, que trará uma economia de energia brutal. Então nós buscamos fazer uma coisa em que as pessoas se sintam a vontade, não um lugar abafado.”


História na construção 

As Organizações PauloOctavio têm um vasto histórico na construção de shoppings na capital federal. Os destaques são Brasília Shopping, Terraço Shopping, Taguatinga Shopping e Iguatemi Brasília. Segundo o empresário, esse tipo de centro comercial tem se tornado cada vez mais importante para a população, que busca por comodidade e lazer.


De acordo com o Paulo Octávio, os shopping centers foram construídos em áreas estratégicas do DF. “É importante que as pessoas tenham acesso a esse tipo de estrutura próximo às suas residências. Isso gera mais comodidade também aos habitantes de cidades mais distantes do centro da capital.”

Os shoppings da organização são empreendimentos modernos e inovadores, com um mix variado de lojas de marcas nacionais e internacionais, e que primam pela segurança total de seus clientes e visitantes.

Informou Rejane Evaristo/ Jornal de Comunidade

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: