Ônibus de empresa que está sob intervenção no DF atendem alunos em Ceilândia.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Ônibus atendem alunos especiais mas possuem uma série de pendências como IPVA atrasado (Foto: G1/Reprodução)
Dois ônibus de uma empresa ligada ao Grupo Amaral estão sendo utilizados desde março deste ano para transportar estudantes da Associação Pais Amigos Excepcionais (Apaed), localizada na QNM 29 de Ceilândia Sul.

O Grupo Amaral está sob intervenção do governo do DF desde o início de 2013, após terem sido constatadas várias irregularidades na prestação dos serviços.

G1 verificou que ambos os coletivos possuem diversas pendências, como IPVA, licenciamento e seguro atrasados, além de multas de trânsito que também não foram pagas. Um dos ônibus tem R$ 2.564 em dívidas de IPVA; o outro possui R$ 1.166. O licenciamento de um dos carros ainda é de 2011. Somados os débitos, a dívida chega a quase R$ 7 mil.No Detran, consta que os veículos que fazem o transporte de alunos do ensino especial em Ceilândia estão registrados em nome da empresa Rápido Brasília.
Os dois coletivos permanecem estacionados durante o dia em frente à associação (Foto: G1/Reprodução)Os dois coletivos permanecem estacionados durante o dia em frente à associação (Foto: G1/Reprodução)
O DFTrans informou que, apesar de estarem na lista de veículos atingidos pela intervenção do próprio GDF, os dois ônibus têm autorização para circular.
O departamento diz, diferentemente do que informa o cadastro do Detran, que os coletivos estão no nome da empresa Viva Brasília e não da Rápido Brasília. Acrescentou que, se comprovar as pendências de IPVA, licenciamento, seguro e multas, vai substituir os veículos por outros que estejam com a documentação em dia.
G1 conversou com um funcionário da escola para alunos deficientes e também com um motorista de um dos ônibus. Ambos dizem que os dois ônibus são privados, mas prestam serviço para o GDF. Informam ainda que o transporte dos alunos não tem custo para as famílias.
Segundo o DFTrans, há hoje 19 linhas que atendem, de graça, 50 mil portadores de necessidades especiais. Por mês, cerca de 500 alunos de 13 instituições especializadas utilizam as linhas, informou o DFTrans.
Informou o G1

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: