ONS E OFFS – Por Lívio di Araújo

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Presidente Raad

Com a viagem a Québec (Canadá) que cinco deputados distritais farão já neste fim de semana, o deputado distrital Raad (DEM) será o presidente da Casa por uma semana. Isso porque, na viagem, estão de malas prontas o presidente Patrício (PT) e o vice, Dr. Michel (PSL). Assume, então, o primeiro-secretário da Mesa Diretora, Raad.

Pimenta

Por falar na viagem… A coluna já está sabendo que o quórum feminino nesta viagem será bem maior que o masculino. Se você não entendeu porque acha que três homens (Patrício, Michel e Washington Mesquita) é mais que duas mulheres (Celina Leão e Liliane Roriz) é porque você não é tão “amante” dos bastidores. Sem mais.

Tensão

Muitos tentaram entender o clima de tensão ontem na Câmara Legislativa. Porém, o motivo de ter deixado muitos parlamentares nervosinhos aconteceu a portas fechadas. A reunião na Presidência da Casa ontem foi sigilosa. Especulou-se um assunto: Nepotismo.

Deu em nada

Embora ninguém comentasse o que rolou na sala do presidente Patrício, muitos negaram que o nepotismo estivesse em pauta. Também, já era de se esperar. No Legislativo a ordem é esquecer o assunto. Nem metade dos servidores da Câmara assinaram, ainda, documentação exigida para contar se tem ou não parentes na Casa (o prazo termina no dia 14). Enquanto isso, apenas um bastidor é dado como certo: “O assunto morreu na Câmara”.

Deu sim…

Mas a coluna apurou: o assunto não está tão morto. Segundo fonte, a CLDF já tem a certeza que caso venha “ordens superiores” para demissão de parentes na Casa, a associação deverá entrar com mandato de segurança para manter os servidores. Ainda segundo a fonte, a ideia não é nova. No Executivo, também caso exista “ordem superior”, vai rolar mandato de segurança…

Se todos os parlamentares que escreveram no Twitter que votaram favoráveis à cassação de Jaqueline Roriz (PMN) tivessem realmente sido favoráveis, Jaqueline teria sido cassada.

Por que os deputados iriam querer cassar Jaqueline Roriz? Quem faz a leitura dos “precedentes para os mensaleiros do PT” erram feio. Na verdade, cassar a deputada representaria um pontapé inicial para que a sociedade cobrasse providências para as denúncias de corrupção no governo federal. E o Planalto quer?!

Um nó

Pergunta que não quer calar: Por que o Tribunal Regional Eleitoral ainda não publicou a decisão sobre a cassação do registro do deputado distrital Wellington Luiz (PSC)? O deputado depende desta publicação para recorrer ao TSE e, segundo fonte, começa a ficar nervoso.

Justa homenagem feita pelo Dep. Prof. Israel Batista, ontem no Plenário da CLDF, aos 31 anos da Brasília Super Rádio FM. A própria Lúcia Garófalo, viúva do saudoso Mário Garófalo, ligou para agradecer.

Com pouco menos de oito meses, o projeto Adote Um Distrital, que é coordenado pelo Comitê Ficha Limpa – DF, vai lançar nas próximas semanas um novo projeto de controle externo. Desta vez, a ideia é adotar um administrador regional. O projeto será debatido com os moradores da primeira cidade escolhida, Ceilândia, e contará com o apoio do Instituto de Fiscalização e Controle.

Por Lívio di Araújo
Imagem, Google.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: