Os mais ausentes da Câmara Legislativa.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os mais ausentes da Câmara Legislativa
Foto: Andressa Anholete/247

Relatório da 3ª Secretaria da Casa revela frequência dos
deputados distritais nas 116 sessões ordinárias ao longo de 2011;
ranking é liderado pelo deputado recém-cassado Benício Tavares, seguido
pelo então secretário de Ciência e Tecnologia, Cristiano
Araújo, de Eliana Pedrosa e de Patrício



Brasília247 – Os deputados distritais se reuniram em 116 sessões
ordinárias em 2011. Nesses encontros, tiveram oportunidade de discutir
assuntos relevantes para transformar Brasília numa capital melhor,
votando e aprovando projetos. Alguns, no entanto, estavam menos
preocupados em comparecer às sessões que os outros. É o que mostra o
relatório de presença dos deputados elaborado pela 3ª Secretaria da
Câmara Legislativa. Com mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral
(TSE), Benício Tavares (PMDB) lidera o ranking dos mais faltosos na
Casa, com 27 ausências.


Mais antigo parlamentar da Câmara, o recém-cassado deputado é seguido
por outros parlamentares também reeleitos. O presidente da Casa,
Patrício (PT), a distrital Eliana Pedrosa (PSD) e o então secretário de
Ciência e Tecnologia, Cristiano Araújo (PDT) deixaram de assinar
presença em 18 sessões ordinárias. Algumas até tinham justificativas,
mas outras tiveram de ser descontadas do salário de R$ 20 mil mensais.


Das 27 faltas de Benício, sete foram justificadas: seis por licença
médica e uma por licença parlamentar. Das 18 ausências de Patrício,
cinco estão justificadas: duas pela Conferência da União Nacional dos
Legisladores e Legislativos Estaduais e três pelo evento de abertura da
Copa do Mundo de 2014. Já as 18 faltas de Eliana Pedrosa não tiveram
explicações na 3ª Secretaria da Câmara, conforme consta do documento.


Já o então secretário Cristiano Araújo deixou a Câmara em 17 de
outubro, bem no meio do período parlamentar, para assumir a cadeira
junto à pasta do governo. Ele tinha justificado três das ausências antes
desse período. As faltas dos parlamentares foram computadas de 1° de
fevereiro até 15 de dezembro de 2011. O método usado para medir a
frequência é a assinatura da lista de presença no início e ao final da
sessão.


Quinto mais faltoso às sessões ordinárias, Wellington Luiz teve 14
ausências, sendo duas justificadas por ter comparecido a um evento
internacional. Na sequência, Agaciel Maia (PTC) contabiliza 12 faltas.
Ele apresentou atestado médico em duas delas, que acabaram abonadas. Com
onze faltas vêm os deputados Benedito Domingos (PP), Celina Leão (PDS) e
o então secretário de Micro e Pequenas Empresas, Raad Massouh (PPL).
Licenciado, Raad justificou oito ausências: seis por motivo de doença e
duas por comparecer à Conferência da União Nacional dos Legisladores e
Legislativos Estaduais.


Benedito Domingos também apresentou atestados médicos justificando a
necessidade de se ausentar de dez sessões. Apenas uma foi descontada do
salário. Já a deputada da oposição, Celina Leão, justificou três faltas
alegando ter participado da Assembleia Geral da Copa no mesmo instante.
As justificativas foram homologadas pela Casa.


A lista de ausentes segue com Rôney Nemer (PMDB), com 10 faltas, uma
justificada. Chico Vigilante (PT), nove ausências, duas por motivo de
doença. Ayrton Gomes (PMN), Wasny de Roure (PT), Washington Mesquita
(PSD) e Olair Francisco (PC do B) tiveram sete ausências. Todos
apresentaram justificativas: para quatro, três, sete e dois dias,
respectivamente.


Já Cláudio Abrantes (PPS) faltou cinco vezes, Evandro Garla (PRB),
Rejane Pitanga (PT) e professor Israel (PDT) se ausentaram quatro vezes,
seguidos de Luzia de Paula (PSL), com três faltas, e Joe Valle (PSB) e
Liliane Roriz (PSD) com duas. Eles também tiveram faltas abonadas. Já
Dr. Michel (PSL) teve cinco faltas. Todas homologadas.


O campeão em presença é Chico Leite (PT). Segundo o relatório, o
promotor de justiça licenciado compareceu a 115 sessões se ausentando
uma única vez. Não houve nem sequer pedido de abono dessa ausência. As
sessões ordinárias 12ª, 16ª, 25ª, 31ª, 32ª, 33ª, 36ª, 39ª, 42ª, 48ª,
54ª, 66ª, 68ª, 77ª, 85ª, 88ª e 91ª foram transformadas em comissões
gerais para debater assuntos de interesse público.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: