Parente de servidor é beneficiado para construir em área de grileiros.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Entrada da área da Granja do Ipê, onde parcelamentos suspeitos foram feitos com a autorização da SPU (Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press)
Cobiçada por grileiros, a região situada em uma Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie), na Granja do Ipê, no Riacho Fundo 2, passou a ser alvo de autoridades dos governos federal e local. Na edição de ontem, o Correio revelou que a ex-superintendente do Patrimônio da União (SPU) Lúcia Carvalho encaminhou à Administração Regional da cidade pedidos para que pessoas ligadas a uma associação rural construíssem residências no local. Segundo o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), as terras em questão não são edificantes.



Em um dos documentos, Lúcia Carvalho solicita que a administradora do Riacho Fundo 2, Geralda Godinho, conceda autorização de obra em benefício de Ana Maria Cardoso de Moura. Com a chancela da ex-deputada e ex-presidente da Câmara Legislativa, a mulher ganhou o direito de construir, na área de proteção, uma casa com 132m². Ela é mãe do coordenador adjunto da Coordenadoria de Cidades da Casa Civil, Luiz Franklin.

No requerimento feito por Ana Maria à SPU, o e-mail de contato é o de Luiz Franklin. Ao Correio, ele alegou que a mãe não possui endereço eletrônico e, por isso, quando precisa, fornece o contato dele. O coordenador adjunto de Cidades acredita que a mãe, assim como tantos outros na região, foram enganados por grileiros. “Eu conheço a luta da minha mãe. Ela sempre teve o sonho de ter um pedaço de terra e eu não tenho dúvida alguma de que ela foi ludibriada por promessas falsas”, explicou.
Informações do Correio Web

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: