PCDF deflagra Operação Firewall II, alvorada e Ícaro

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Agentes da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DECO) deflagraram, na manhã desta sexta-feira (8), a Operação Firewall II, em cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão. Uma prisão em flagrante foi realizada na capital do Estado de Goiás.
Na ação, ocorrida em bairros nobres da Capital Federal e em Goiânia/GO, foram apreendidos computadores, documentos e objetos relacionados às irregularidades constadas no convênio firmado, em junho do ano passado, entre a Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP) e a Associação Comercial do DF (ACDF). Trata-se de convênio estimado em pelo menos R$ 5 milhões.
De acordo com as investigações, o presidente da FAP, Renato Caiado de Rezende, 43 anos, em comum acordo com a então presidente da ACDF, Danielle Bastos Moreira, 46, formalizaram procedimento administrativo, com indícios de dispensa ilegal de licitação.
Eles ainda teriam aberto uma conta-corrente clandestina no banco BRB, em nome da FAP, operada por Danielle e sua tesoureira, Isaurina de Jesus Louseiro, 77. Em um pouco mais de um mês, as duas teriam transferido mais de R$ 1,8 milhão para uma empresa de empreendimentos, com razão social denominada Grupo Cidade, localizada no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), pertencente ao empresário Paulo Sérgio Araújo de Sousa, 43, preso em flagrante em Goiânia.
A Secretaria de Estado de Transparência e Controle do Distrito Federal, por meio de um relatório, detectou diversas irregularidades no processo que originou o convênio.
 A inspeção realizada pelo órgão comprovou que tais irregularidades vão desde a instrução processual, pagamento por serviços não prestados, ausência de prestação de contas, falta de capacidade técnica da ACDF, até a dispensa indevida de licitação e subcontratação irregular, além de outras.
As buscas realizadas durante a operação foram cumpridas nas residências de Paulo Sérgio, Danielle e de Isaurina, localizadas em Goiânia, Lago Sul e Asa Sul, respectivamente.
As investigações ainda apontaram o envolvimento do superintendente técnico e científico da FAP e executor do convênio, Gustavo Henrique Tamm; e de Luiz Fernando Raye Puppi Lelles, 43; amigo pessoal do presidente Renato Caiado.  Segundo apurado, Gustavo também foi nomeado, irregularmente, por Renato Caiado, para atuar como coordenador do edital dos bolsistas, objeto de apuração da DECO.  O respectivo edital, publicado em (???),  objetivou realizar processo seletivo para classificação de candidatos aptos ao recebimento de bolsas de pesquisa.
Prosseguindo com as diligências, os policiais ainda verificaram o envolvimento de Cristiane Santos Pereira, 38, responsável pela empresa Espaço Multiplicidade, também investigada pela DECO, em razão de haver recebido vantagens indevidas em razão do convênio.
Todos os envolvidos citados serão indiciados pelo crime de peculato, dispensa ilegal de licitação e formação de quadrilha.
A primeira edição da Operação Firewall II ocorreu em novembro do ano passado, quando foi realizado o cumprimento de mandados de prisão temporária e de busca e apreensões.  A ação objetivou desbaratar uma organização criminosa infiltrada no âmbito da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal – FAP/DF, responsável por fraudes em processos de licitação.

A Polícia Civil do DF deflagrou duas operações de cumprimentos a mandados. Na Operação Alvorada foram presas 129 pessoas e na Ícaro, apreendidos 63 adolescentes. As ações policiais foram realizadas em todas as regiões do DF.
A Operação Alvorada destina-se ao cumprimento de mandados de prisão criminais. Nessa edição, dos 129 presos, 83 possuíam mandado de prisão condenatória. Em sua maioria, as pessoas presas praticaram crimes de roubo, tráfico de drogas, homicídio, porte ilegal de arma e estupro.
Já a Operação Ícaro, desencadeada pelas Delegacias da Criança e do Adolescente (DCA I e II), tem por objetivo cumprir mandados de apreensão de adolescentes infratores. Os menores apreendidos estão envolvidos em crimes de porte ilegal de arma, tráfico de drogas e roubo.


Divisão de Comunicação/DGPC / Imagem: Web

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: