Pisa 2018: 13 mil estudantes de 661 escolas participam do programa

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


[Artigo Patrocinado] Aproximadamente 13 mil estudantes
brasileiros testaram os seus conhecimentos em Leitura, Matemática e Ciências
Aplicadas no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes – o Pisa 2018. Foram convocados até 33
estudantes em cada uma das 661 escolas brasileiras selecionadas nas redes
públicas e privadas. Aplicado em mais de 80 países em todo o mundo, o Pisa visa
avaliar a qualidade da educação
básica
e a iniciativa do estudante em buscar, interpretar e analisar
conteúdos associados a situações que ultrapassam a esfera escolar. O resultado
será publicado apenas em 2019.

Entre todos os temas abordados, a
leitura foi o principal tema do Pisa
2018. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais
Anísio Teixeira (Inep), “a proposta para esta área foi de analisar o
conhecimento dos estudantes tendo como base a diversidade de um mundo
globalizado, incluindo as habilidades de leitura necessárias, na atualidade,
para crescimento individual, sucesso educacional, participação econômica e
cidadania”.

Diante da importância da leitura
no contexto escolar para o desenvolvimento do aluno, são desenvolvidas diversas
iniciativas que para estimular as competências associadas à leitura. “Através
das atividades lúdicas, rodas de leitura dentre outras práticas, identificamos
como o aluno está em seu processo de aprendizagem. Ele é incentivado a desenvolver
sua autonomia, confiança e compreensão diante de situações do dia a dia que
necessitam da leitura e da interpretação. Isto favorece o crescimento
intelectual do aluno enquanto cidadão”, destaca a pedagoga Marina Rhein dos Reis.

A amostra brasileira que
participou da avaliação Pisa
contemplou nascidos em 2002 que cursavam a partir do 7º ano do Ensino
Fundamental
. Na esfera internacional, a maioria dos participantes têm 15 anos,
idade em que é encerrada a educação básica obrigatória em grande parte dos
países.

A criação de
projetos literários que destaquem autores importantes, além dos clássicos da
literatura nacional e internacional, ou a “simples” adoção de livros
paradidáticos para trabalhar ao longo do ano são válidas. “A cada trimestre
adotamos um livro paradidático o qual servirá de base para atividades que
resultam, entre outras, em apresentação de dança, pinturas e livros”, pontua
Reis ao citar as atividades desenvolvidas no âmbito escolar.

As provas do Pisa também
incluem questões sobre letramento financeiro para avaliar o conhecimento dos
jovens no que tange a dinheiro e investimentos, bem como compreender os
critérios adotados para a tomada de decisões que envolvam tais questões.
Tunísia Cores – Ascom Educa Mais Brasil

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Escolas: pais temem segurança sanitária na volta às aulas na rede pública, diz pesquisa

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: