Polícia investiga suposto esquema de propina no GDF em 2009 e 2010.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por intermédio da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (DECAP), deflagrou, nas primeiras horas desta terça-feira (31), a Operação Harmonia.

As ações ocorreram em Águas Claras, Vicente Pires, Ceilândia, Samambaia, Lago Sul e Norte e Cruzeiro Velho e objetivaram dar cumprimento a mandados de busca e apreensão em 13 endereços, alvos da operação.
Nas diligências, foram apreendidos computadores, mídias e documentos relacionados ao esquema de pagamento de propinas e contratos firmados, envolvendo a Secretaria de Justiça do GDF (SEJUS), Casa da Harmonia do Menor Carente e duas outras empresas privadas, fornecedoras de alimentos, itens de vestuário e outros materiais ao CIAGO.
Segundo apurado, em março de 2010, de
núncia anônima apontou que G.M.M. escondia, em seu carro, a importância de R$ 104 mil, quantia destinada ao pagamento de propina a Flávio Lemos de Oliveira, então secretário da SEJUS.
Em razão das denúncias, a PCDF instaurou inquérito policial para investigar irregularidades na contratação da entidade Casa da Harmonia do Menor Carente, empresa destinada a administrar o CIAGO.  A Casa da Harmonia, por sua vez, subcontratou duas empresas privadas. A primeira ficaria responsável pela alimentação dos menores carentes e a segunda, pelos itens de vestuário e materiais de oficina do CIAGO.
Em contraprestação aos contratos firmados, as empresas teriam pagado propinas mensais ao secretário da SEJUS, por intermédio de G.M.M. O dinheiro encontrado no veículo dele destinava-se ao pagamento de propina, referente a uma das parcelas prometidas a Flávio.
O contrato da Casa da Harmonia para administrar o CIAGO foi firmado em julho de 2009, pelo prazo de 180 dias e, posteriormente, foi prorrogado em fevereiro de 2010, por igual período.
 Todos os documentos e objetos apreendidos foram encaminhados à perícia a fim de serem analisados.

Divisão de Comunicação/DGPC
 

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: