Primeira UPA de Ceilândia, considerada a maior do Brasil deve ser entregue na próxima quinta-feira (03)

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Imagem inline 1
Enquanto os equipamentos/medicamentos vão chegando, as obras nas proximidades não param. Já foram instalados diversos postes de iluminação, ampliada a rede de águas pluviais, e está sendo finalizada toda a troca do asfalto ao redor da unidade. Outra UPA está em construção na QI 10, Setor de Indústrias de Ceilândia (próximo à QNQ, QNR e o trecho 3 do Sol Nascente), e deve ser entregue até o próximo mês.  

“As duas UPAs têm uma localização estratégica e importante, que vai beneficiar os moradores que mais necessitam, além de desafogar o pronto-socorro do Hospital de Ceilândia, onde diariamente são atendidos mais de mil pacientes” disse o administrador de Ceilândia, Ari de Almeida.
As unidades funcionarão 24 horas, como as demais do DF, para casos de menor complexidade. Uma estratégia do GDF para melhorar o atendimento às emergências na cidade. Oferecerão atendimentos em Clinica Médica e Pediatria garantindo maior humanização no atendimento, resolvendo os problemas de saúde dos pacientes, próximo a sua residência.



Em cada UPA estão sendo investidos cerca de R$ 9 milhões, que vão beneficiar a população com uma média de 500 a 700 consultas por dia, em cada uma delas.
A UPA da Ceilândia Norte é a maior do Brasil, e deve ser inaugurada na manhã da próxima quinta-feira, dia 03 de abril, com uma ambientação baseada na obra de Athos Bulcão.


O QUE É UMA UPA

Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) é o estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde/Saúde da Família e a Rede Hospitalar, devendo com estas compor uma rede organizada de atenção às urgências, e deve prestar atendimento resolutivo e qualificado aos pacientes acometidos por quadros agudos ou agudizados de natureza clínica e prestar primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica ou de trauma, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, definindo, em todos os casos, a necessidade ou não, de encaminhamento a serviços hospitalares de maior complexidade.

A UPA é a grande movimentadora da Rede de Atenção as Urgências e Emergências, pois está sempre se comunicando com a Atenção Básica, visando o acompanhamento da saúde do paciente, e com os Hospitais, na busca de leitos para transferências e na realização de exames. Desta forma, quanto mais UPAs existirem, maior será a cobertura de atendimento de saúde do DF. Atualmente as UPAs existentes seguem o modelo estipulado pelo Ministério da Saúde e são responsáveis pelo atendimento de 34% da população do Distrito Federal. O ideal é que os serviços se complementem visando o bem estar da população atendida em cada Regional.


OBJETIVOS

A UPA funciona como retaguarda da Atenção Básica. Ou seja, o ideal é que as pessoas façam o acompanhamento médico de sua saúde por meio das equipes da Estratégia Saúde da Família que estão alocadas nos Postos de Saúde, Clínicas da Família ou Unidades Básicas de Saúde de cada Regional, porém quando passam mal elas devem procurar as UPAs que estão preparadas para atender os casos de urgência (situação que requer assistência rápida, no menor tempo possível, a fim de evitar complicações e sofrimento) e emergência (quando há ameaça iminente à vida, sofrimento intenso ou risco de lesão permanente, havendo necessidade de tratamento médico imediato). Após o atendimento a esses pacientes, há sempre a orientação sobre a importância do acompanhamento médico realizado pela Atenção Básica. Em casos mais graves, a UPA realiza a transferência para os Hospitais.

QUANDO O PACIENTE DEVE PROCURAR A UPA

O paciente deve procurar a UPA em caso de:

– Parada Cardiorespiratória;
– Dor no peito/Dor cardíaca;
– Falta de ar/Dificuldade para respirar;
– Convulsão;
– Vômitos ou diarréias que não param;
– Vômitos com sangue;
– Dor abdominal moderada a grave;
– Dor de cabeça intensa;
– Rigidez na nuca;
– Queda súbita de pressão;
– Elevação de pressão arterial, a partir de 160×100 MMH;
– Dor aguda;
– Alergia severa (coceira e vermelhidão intensa pelo corpo);
– Envenenamento;
– Tentativa de suicídio;
– Dor e inflamação nos dentes;
E deve procurar o Centro de Saúde, a Clínica da Família ou a Equipe de Saúde da Família quando precisar:
– Trocar sondas;
– Verificar a pressão arterial;
– Medir a glicemia;
– Pegar medicamentos;
– Vacinar;
– Fazer curativos ou retirar pontos;
– Aplicar injeção;
– Fazer nebulização;
– Marcar consultas para crianças e adultos;
– Trocar receita médica;
– Solicitar exames (endoscopia, radiografias, laboratoriais);
– Pegar atestado médico de saúde para fazer exercícios físicos;
– Marcar consulta ginecológica, pré-natal e coleta de prevenção;
– Tirar dúvidas sobre sua saúde (coceira há 1 semana, dor crônica há 30 dias, tosse há 2 semanas, etc).

EXAMES REALIZADOS (EMERGÊNCIA)

Hemograma Completo;
Glicose;
Uréia;
Creatinina;
Ácido úrico;
Amilase;
Bilirrubina Total e Frações;
Cálcio;
Sódio;
Potássio
Cloreto;
Magnésio;
Creatino fosfaquinase – CPK;
Creatino fosfaquinase fração – CK-MB; CK-MB Massa;
Troponina
D-Dímero;
Desidrogenase Lática (LDH);
Fosfatase Alcalina;
Fósforo;
Gama GT;
Proteína total e frações;
Transaminase Glutâmico Oxalacética – TGO
Transaminase Glutâmico Pirúvica – TGP
HIV – Teste de Triagem;
βHCG – Teste de Triagem;
βHCG – Quantitativo
Exame do Sedimento Urinário;
Teste Rápido de Dengue;
PCR;

COMO É FEITO O ATENDIMENTO NA UPA

Todo o paciente que chega a UPA faz a ficha e passa pela Classificação de Risco com uma enfermeira.

As UPAs utilizam o Protocolo Manchester para a classificação de risco por cores, que funciona da seguinte forma:

• Vermelha – Emergência – Risco de perder a vida – Atendimento imediato;

• Laranja – Muito urgente – Risco de perda de função de órgãos – Atendimento em até 10 minutos;

• Amarelo – Urgente – Condição que pode se agravar sem atendimento – Atendimento em até 60 minutos;

• Verde – Pouco Urgente – Baixo risco de agravo à saúde – Atendimento em até 120 minutos;

• Azul – Não urgente – Sem risco. Encaminhamento à Unidade de Saúde de referência – Atendimento em até 240 minutos;

Pacientes graves são encaminhados diretamente para o Box de Emergência (UTI) da UPA (Sala Vermelha). Se necessitarem de internação em UTI por um período maior que 24h seus nomes são inseridos na regulação para aguardarem a vaga em um dos hospitais do DF.

Pacientes que necessitam de Observação são encaminhados para a Sala de Observação (Sala Amarela) e nela permanecem por no máximo 24h. Se necessitarem ficar mais tempo em observação, a equipe providencia as transferências para os hospitais que tiverem vaga. Na UPA cada uma dessas salas possui equipe especializada e preparada para receber os pacientes com todos os cuidados que necessitam. As transferências são feitas de forma segura em ambulância própria ou quando necessário, na ambulância do SAMU.

Pacientes em estado pouco urgente recebem atendimento médico e medicação. Se o médico achar necessário, a UPA oferece suporte para exames de emergência e raio-x.

Por Administração de Ceilândia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: