Programa Justiça Comunitária terá mais atuação em Ceilândia.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O Programa Justiça Comunitária do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, neste ano, vai concentrar suas atividades na Região Administrativa de Ceilândia. A cidade com quase 400 mil habitantes apresenta um dos mais elevados índices de violência do DF. A partir do dia 1º de março o PJC vai abrir 90 novas vagas para agentes comunitários. A concentração em Ceilândia vai implicar na formação de 3 núcleos na Região Administrativa. 

O Programa vai desenvolver capacitação específica para a formação da comunidade escolar do DF em Justiça Comunitária a partir dos seus pilares: Educação para os Direitos, Mediação de Conflitos e Animação de Redes Sociais. Outros segmentos da sociedade também manifestaram interesse em receber esta capacitação, de forma que o Centro de Formação e Pesquisa em Justiça Comunitária passa por uma significativa ampliação. 
Diante do cenário atual e da necessidade em estimular a comunidade a experimentar formas alternativas de resolução de conflitos e a construir a paz social, o PJC deu início a essa nova proposta de atuação. Com o redirecionamento das ações, serão desativados os Núcleos de Taguatinga e Samambaia. 
Originalmente, o Centro de Formação do PJC cuidava exclusivamente da formação dos agentes e da equipe. Hoje se apresenta com extrema importância na sua área de atuação, na medida em que se tornou o principal indutor para que a comunidade se aproprie da Justiça Comunitária. 
Inscrições 
Para ser um Agente Comunitário do Núcleo de Ceilândia é preciso ser voluntário, ter no mínimo 18 anos, Ensino Fundamental, morar na comunidade e ter disponibilidade de tempo para formação e para atuação na comunidade. 
As inscrições estarão abertas entre os dias 1º de março a 30 de abril nos seguintes endereços: 
Fórum de Ceilândia – sala 201 QNM 11 área especial Ceilândia centro, de 2ª a 6ª feira, de 13h às 18h; 
Centro de Ensino Fundamental 28, QNP 21, Área Especial, Setor Habitacional Sol Nascente – Ceilândia, de 2ª a 6ª feira das 8h30 às 12h; 
Centro de Ensino Especial 02, EQNO 12, Área Especial G, Setor “O” – Ceilândia de 2ª a 6ª feira das 8h às 11h / 14h às 17h; 
CRAS, QNN 15, Área Especial – Módulo A – Ceilândia de 2ª a 5ª das 8h às 18h; 
Grupo Atitude, QNM 21, Conjunto B, Casa 20 – Ceilândia de 2ª a 6ª feira das 9h às 17h; 
CREAS, QNM 16 Módulo A área especial, Ceilândia Norte de 2ª a 6ª feira de 08 às 18 horas. 
O Agente Comunitário deve: 
1. Esclarecer os direitos dos cidadãos, previstos na Constituição e nas leis de nosso País, utilizando materiais didáticos e artísticos formulados em linguagem simples e agradável. 
2. Realizar a mediação comunitária, que consiste em uma técnica pela qual as próprias pessoas envolvidas em um conflito são capazes de encontrar a melhor solução para os seus problemas. A busca pela solução do conflito acontece na sessão de mediação, que conta com a participação de um mediador com a função de facilitar o diálogo entre as pessoas envolvidas. 
3. Estimular a organização das pessoas na comunidade, para que elas busquem coletivamente a solução de seus próprios problemas. Isso ocorre por meio da mobilização das pessoas em redes sociais. É a sabedoria do lema: a união faz a força! 

TJDFT

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: