Programa Nosso Pão, Nosso Leite não tem mais postos de distribuição

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Beneficiários do programa passarão a receber
auxílio financeiro no lugar dos alimentos

Os postos de distribuição dos programas Nosso Pão, Nosso Leite e Cesta Verde não estão mais em funcionamento. No lugar dos produtos, os beneficiários receberão recursos do Plano DF sem Miséria, em complementação ao programa federal Bolsa Família. No caso do Cesta Verde, haverá distribuição somente em casos emergenciais.


“As famílias vão receber, em média, R$ 100 a mais do que recebem no Bolsa Família”, explicou o secretário de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, Daniel Seidel. “A ideia é que possam adquirir produtos de acordo com sua cultura alimentar, no mercado ou padaria mais perto de casa”,completou.

A medida, anunciada pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) na sexta-feira, entra em vigor após a pasta concluir a migração dos beneficiários dos programas locais para o Bolsa Família, por meio do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único). O esforço da secretaria é evitar duplicidade no pagamento e distribuição de benefícios, além de assegurar que apenas as famílias que realmente precisam – pobres e extremamente pobres – tenham acesso aos programas.

Cadastro –Desde o início de 2011, a Sedest vem concentrando esforços para cadastrar as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza do Distrito Federal no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O objetivo é reunir em uma só lista os beneficiários de programas sociais.

O governo Agnelo Queiroz herdou, de governos anteriores, quatro bases cadastrais diferentes e desorganizadas que não permitiam o controle preciso de beneficiários. A partir do Cadastro Único, que é auditado, esses dados ficam concentrados e evitam a duplicidade no pagamento de benefícios, além de garantirem o controle das informações fornecidas pelos cadastrados.

Para continuar a receber o benefício do Programa Bolsa Família e a Complementação do DF sem Miséria, as famílias precisam atender os seguintes critérios: manter as crianças e adolescentes matriculados e frequentando regularmente as aulas, garantir a atualização do calendário de vacina das crianças com até 6 anos e as mulheres grávidas devem comprovar que contam com acompanhamento pré-natal. “Nosso compromisso é assistir essas famílias para que até o final do ano tenhamos acabado com a extrema pobreza no DF”, salientou o secretário Daniel Seidel.

O que deve ser feito para atualizar o cadastro e o benefício não ser cortado?É necessário que o beneficiário ligue no 156, opção 5, e marque data e horário para o atendimento no Centro de Referência da Assistência Social (Cras).
Que documentos são necessários para marcar data e hora por meio do 156?O CPF
Que documentos são necessários levar no dia marcado para o atendimento do Cras?

• Carteira de identidade (de todos os maiores de idade que moram na casa);

• CPF (de todos os maiores de idade que moram na casa);

• Título de eleitor (de todos os maiores de idade que moram na casa);

• Carteira de trabalho (de todos os maiores de idade que moram na casa);

• Comprovante de residência (contas de água, luz, telefone ou declaração de próprio punho);

• Certidão de nascimento (para menores de 18 anos);

• Comprovante de matrícula na escola (caso esteja estudando).

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: