Projeto coloca artistas de Ceilândia na paisagem do DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Com intervenções urbanas espalhadas por vários
pontos do Distrito Federal, projeto apresenta banda e artistas que têm trajetória
marcada pela Ceilândia. As imagens transformadas em lambe-lambes foram
produzidas a partir de fotografias reveladas com um processo químico de 1842
chamado cianotipia. 


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A técnica escolhida para revelação das imagens usa um composto de citrato férrico
amoniacal e ferricianeto de potássio que, quando misturados, se tornam
fotossensíveis. O resultado de aparência azulada, além de ter sido escaneado e
utilizado na criação das intervenções, foi referência na montagem de uma série
de vídeos pautando como Ceilândia influencia o processo criativo dos artistas.
Intitulado “Da quebrada”, o projeto retrata a banda
de reggae Zoka; Cássio Tyrone, produtor musical; Gustavo da Cei, artista visual
e autor do projeto; a dançarina Mary Ribeiro; a rapper MC Debrete; a performer
e música Pietra Sousa e o cantor Wandin.
A iniciativa surgiu de uma pesquisa de iniciação
científica da Faculdade de Comunicação-UnB que estuda a estética,
possibilidades de expansão e processos históricos da fotografia.

A ideia é mostrar um pouco da arte de Ceilândia,
utilizar a fotografia de forma alternativa e inserir esses artistas
invisibilizados na paisagem da cidade, afirma Gustavo da Cei.

No dia 23 de junho, o projeto será apresentado no
“Conversa aberta – O lugar da arte e cultura de Ceilândia”, evento que acontece
às 15h na praça ao lado da Feira Central.
Assista os vídeos do projeto aqui.
Confira as imagens aqui.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: