PSD vê seus Distritais pularem do barco.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Nascido grande e como promessa para as próximas eleições, o PSD está vendo seus distritais pularem do barco. Dos quatro deputados da legenda na Câmara Legislativa, três já admitem aos quatro cantos da Casa que estão a procura de outros partidos para a disputa do ano que vem. A quarta também pensa nisso. Enquanto isso o presidente Rogério Rosso afirma que não foi procurado pelos parlamentares para conversar e não se posicionará. 
Eliana Pedrosa negocia a chance de se candidatar a governadora, enquanto Celina Leão busca uma legenda que lhe dê mais espaço. Washington Mesquita já decidiu com seu grupo político que vem para a reeleição, de olho em 2018, e também deve deixar o partido.
A única a não declarar que sairá é Liliane Roriz, que também é pré-candidata ao Buriti. Porém a indecisão do PSD e do presidente nacional Gilberto Kassab para 2014, em relação ao governador Agnelo Queiroz, poderá levá-la para outra legenda.
Seus destinos
Eliana Pedrosa se apresentou na noite de ontem a lideranças do PPS e teve uma recpção calorosa por parte dos correligionários da legenda. Segundo a distrital, ela ainda negocia com o PSD sua saída de forma amigável.

Celina Leão, por sua vez já decidiu que só sai para um partido que esteja em oposição ao governador Agnelo Queiroz, o destino provável é o PDT. Leão tem conversado semanalmente com o deputado federal Antonio Reguffe e com o senador Cristovam Buarque. “O PDT é uma boa opção porque ficou quase quatro anos fora do governo e tenho certeza que não será agora que ele irá se atrelar novamente ao governador Agnelo”, analisa.
Washington se mantem discreto, mas o PTB já negocia sua transferência. Ele tentará a reeleição, também está de olho em 2018.
Incertezas que afugentam os filiados


1 A indefinição do ex-prefeito Gilberto Kassab, controlador do PSD, é o que mais afugenta os parlamentares do partido. Kassab tende a apoiar Dilma Rousseff na sucessão, o que limitaria as seções regionais.

2 Por exemplo, o ex-governador Joaquim Roriz poderia  ingressar no PSD, mas caso Kassab se decida por Dilma, seria muito difícil lançar sua candidatura a governador. Pior, Roriz ficaria emparedado no partido e não teria como concorrer. O raciocínio vale para sua filha Liliane.
3 Também pesa nesse sentido o desconhecimento da nominata do PSD no ano que vem. Só se sabe que o partido não tem como reeleger todos os distritais nele hoje acomodados.
Presidente tem esperança de que fiquem


Rogério Rosso afirmou que não falará sobre especulações, já que oficialmente nenhum dos parlamentares o procurou. “Não tenho essas informações. Eu sinceramente espero que eles fiquem, pois ninguém falou comigo”, afirmou o presidente do PSD brasiliense.

Sobre o encontro de Eliana Pedrosa com o PPS, o ex-governador preferiu elogiar a distrital: “A Eliana merece o nosso respeito. Ela é muito competente, mas não conversamos.”
O caso de Liliane Roriz pode ser o mais complicado. Algumas conjunturas podem levar a filha do ex-governador a deixar a legenda.
O fato de Kassab não ter se posicionado em relação a Agnelo para 2014 preocupa a distrital. Afinal, eventual  apoio de Kassab ao PT inviabilizaria a candidatura de Liliane a qualquer cargo.
A decisão de Liliane deve ficar para os 45 minutos do segundo tempo, já que ainda não há nenhuma garantia sobre o posicionamento de Gilberto Kassab e Rogério Rosso.



Informou clicabrasilia.com.br

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: