Rede é alternativa para Celina Leão.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Surgiu mais uma alternativa partidária para a distrital Celina Leão. É a Rede, que está sendo criada pela ex-senadora Marina Silva. As chances de que Celina permaneça no PSD estão minguando. Não só ela está insatisfeita com a postura do legenda, como suas chances de reeleição se reduzem caso fique por lá. As chances de que o PSD faça uma bancada semelhante à atual, com quatro deputados, são consideradas escassas, ainda mais com a forte possibilidade de que as duas maiores puxadoras de voto, Eliana Pedrosa e Liliane Roriz, disputem cargos majoritários, como o Buriti. Celina diz que as posições da Rede a agradam muito e já manteve contatos positivos com os organizadores. 
Muro começa a incomodar

Celina critica a indefinição do PSD, que oficialmente declara que não é governo, nem oposição. A deputada acha que as manifestações de rua cobram justamente postura, e trabalho, aos detentores de mandatos eletivos. “A população está cobrando posicionamentos e quer saber o que estamos fazendo” conta. Diz Celina que, quando vê deputados indo para a tribuna, elogiando as manifestações, mas deixando de propor respostas, tem vontade de gritar-lhes: “ei, colegas, isso é para nós”. Por isso se opôs à realização de recesso normal este ano e por isso quer manter-se como “oposição coerente, e não raivosa, pois tenho inclusive votado com o governo, quando faz bem para a cidade”.
Segredo de estado
Para Celina, a postura de seu partido só aumenta a insegurança dos parlamentares. Queixa-se de que o presidente regional, o ex-governador Rogério Rosso, garante a todo mundo que o PSD conta com excelentes nominatas tanto para deputado distrital quanto para deputado federal. “Só não conta para nós, deputados, de jeito nenhum, quem é que está nas tais nominatas”, acusa. 
Pode ser e pode não ser
O PPS também abriu as portas para Celina Leão. Seu ingresso no partido chegou a ser dado como certo. Mas surgiram fatores contrários, que permanecem como dificuldades para sua filiação. Não só o PPS perdeu quadros — e candidatos potenciais — após a intervenção da executiva nacional, como a perspectiva de fusão com o PMN poderia colocar Celina em uma saia justa. Literalmente. 
Eduardo Brito / Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: