Retorno menos tranquilo na CLDF.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Embora exista um acordo político para a recondução de quase todos os presidentes de comissões, a Câmara Legislativa reabre hoje com problemas para cumprir o entendimento. Não foi por acaso que a veterana Eliana Pedrosa lembrou que o regimento não prevê essa recondução, embora não a proíba. A insatisfação começa justamente no PSD de Eliana, que tem a segunda maior bancada e que, mesmo isolado, seria o terceiro maior bloco. Mesmo assim, o partido não está representado na Mesa Diretora.
De onde partem os ajustes

Voltando ao regimento, há como se pedir nova eleição. Com o afastamento do distrital Raad Massouh, o suplente de primeiro secretário Olair Francisco assumiu o cargo. Embora inexistam restrições pessoais a Olair, haveria como argumentar que seria indispensável a eleição de um primeiro secretário efetivo. De quebra, há necessidade de rever a composição das comissões para acomodar os três deputados – Arlete Sampaio, Robério Negreiros e Paulo Roriz – que chegaram agora à Câmara. Arlete, inclusive, deverá assumir a presidência da Comissão de Educação e Saúde.
O alvo de verdade

O presidente Patrício já confidenciou a deputados que existe necessidade de proceder a mudanças nas funções eletivas. Tem muita gente acreditando que, essa admissão se deve a uma flecha disparada do outro lado da rua, do Palácio do Buriti. O alvo seria a distrital oposicionista Celina Leão (foto). Na presidência da Comissão de Ética ela obtém muita visibilidade. Sem falar que sua comissão embute alto potencial para criar problemas.

Um blocão ainda mais blocão

Líder do chamado blocão na Câmara Legislativa, o distrital Rôney Nemer está fazendo de tudo para conseguir adesão do recém chegado Paulo Roriz ao grupo. Hoje com seis deputados, o maior da Câmara Legislativa, o blocão soma PMDB, PTdoB, PSL, PPL e PTC. Empatado com o bloco  PT-PRB na condição de maior bancada, o blocão chegaria a sete deputados se Raad Massouh permanecesse por lá. Faz agora nova tentativa de passar à frente.
Argumentos não faltam
Argumentos não faltam a Rôney Nemer. Paulo Roriz ocupou a Secretaria de Habitação no Governo Arruda. Agora, o blocão conta com um trunfo para atrai-lo. Deve controlar a futura Secretaria de Regularização de Condomínios, que nasce com uns 240 cargos comissionados.
Obstáculos também não
Restam dois problemas. Dos grandes. Primeiro, Paulo Roriz já sinalizou que ficará com o bloco PTB-PR-PP. Segundo, e mais importante, ao menos nominalmente pertence ao DEM, partido que proíbe apoio a governos petistas. Diante disso está difícil, muito difícil,  a adesão sair.
 Coluna “Do alto da torre”

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: