Reunião inaugura nova fase de gestão, anuncia GDF.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Governador Agnelo Queiroz reúne secretários de governo e dirigentes de órgãos e empresas públicas para apresentar novo perfil administrativo

Em reunião com todo o primeiro escalão do GDF, o governador Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama Ilza Queiroz, apresentou as novas metas administrativas e explicou o que será uma nova fase de modelo de gestão.

“Encerramos um período, que foi o de arrumar a casa. Este é o ano da gestão, de materializar as ideias. Estou convicto do sucesso do nosso governo, mas é preciso uma ação organizada e tensionada. A máquina pública é feita para não funcionar e cabe ao gestor superar os obstáculos e conquistar os resultados. Já entregamos muita coisa e vamos entregar muito mais.”

Junta – Ele anunciou aos demais secretários a criação de uma Junta de Acompanhamento de Execução Orçamentária. Ela será presidida pelo governador e terá como secretário-executivo o chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa. Também farão parte do grupo os secretários de Planejamento, Luiz Paulo Barreto, e de Fazenda, Marcelo Piancastelli. A junta tem a missão de cuidar da saúde fiscal do GDF e garantir a execução orçamentária das ações prioritárias da gestão.

Logo na abertura do encontro, Agnelo Queiroz deu as boas-vindas aos novos integrantes da equipe de governo: o chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, e o secretário de Planejamento, Luiz Paulo Barreto, que, pela primeira vez, reuniram-se com o grupo. “Dois nomes que engrandecem e que terão muito a contribuir na nova fase do governo”, destacou.

O governador explicou, ainda, que o chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, exercerá a função de gerenciamento das ações do GDF, e o secretário de governo, Paulo Tadeu, irá se dedicar à articulação política na interlocução direta com os movimentos sociais e parlamentares.

Agnelo Queiroz também explicou que, na nova fase de gestão, haverá reuniões setoriais e temáticas com os chefes das pastas. Eles serão agrupados por temas, como desenvolvimento social e desenvolvimento econômico, por exemplo.

O governador afirmou, ainda, que recebeu um governo com “obras paralisadas, convênios sem prestação de contas e um grau muito elevado de desordem”. “Mas enfrentamos essa situação para agora superar os obstáculos”, ressaltou.

Segundo ele, é preciso ter coragem para fazer os grandes enfrentamentos pelo interesse da sociedade, numa referência ao lançamento do edital de licitação do transporte público. “A política tem que ser feita para a sociedade e não para grupos de interesses. Convoco todos aos enfrentamentos que virão e que terão que ser feitos para apresentarmos os resultados que a sociedade espera.”

PAC – O vice-governador Tadeu Filippelli destacou que, ao assumir o Poder Executivo com Agnelo Queiroz, o saldo administrativo era muito negativo. Um dos indicativos dessa situação era o fraco desempenho do Distrito Federal nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “Éramos a terceira pior unidade da Federação. Mas hoje estamos acima da média nacional”, afirmou. “Nosso metrô foi premiado por órgão especializado como o melhor em operação em 2011, apesar de todos os problemas que enfrentamos.”

Balanço – O secretário de governo, Paulo Tadeu, mostrou-se otimista com a nova etapa no GDF. “É importante que todos remem para o mesmo lado”, disse. Ele lembrou que a atual gestão tem origem nos movimentos sociais. “É preciso trabalhar para mantermos nossa base, que é maioria na Câmara Legislativa. Uma maioria construída de forma republicana, limpa e que não nos envergonha”, completou.

O chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, apontou que o novo modelo de gestão também será apresentado às administrações regionais. “Faremos uma próxima reunião com os administradores para reforçarmos as nossas ações de governo junto às comunidades, já que as administrações são a ponta do governo e têm contato direto com a população. É importante que a Secretaria de Obras, Caesb, CEB, Detran, Novacap e Terracap estejam mobilizados para ajudar no trabalho das administrações regionais.”

Ao fazer a análise das ações já desenvolvidas até o momento, o secretário de Fazenda, Marcelo Piancastelli, informou que o Tribunal de Contas do DF aprovou o último relatório fiscal do quadrimestre encerrado em dezembro.

O secretário de Segurança, Sandro Avelar, apresentou os resultados da Operação Funil, que, de maneira inédita, é coordenada pela pasta e reúne Detran-DF, Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), Corpo de Bombeiros e polícias Militar, Civil e Rodoviária com o objetivo de reduzir o número de acidentes e mortes nas vias urbanas e rodovias locais. A Operação Funil foi lançada em dezembro do ano passado e reduziu em 30% o número de acidentes nas vias do DF.

O governador encerrou a reunião destacando: “A cada ataque que sofro, fico cada vez mais convencido de que o nosso governo está no caminho certo. Nosso trabalho contraria interesses que tentam nos impedir de avançar, mas não conseguirão.”

GDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: