RORIZ QUER SER PREFEITO DE LUZIÂNIA E PREGA UNIÃO EM TORNO DO GRUPO.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Jornal O Repórter

O ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), em entrevista exclusiva ao Jornal O Repórter, em sua residência, no Condomínio Parque Way, próximo de Brasília, confirmou que pretende ser candidato a prefeito de Luziânia, sua cidade natal, nas eleições do próximo ano. Mas, para isso, Roriz destacou que quer contar com o apoio de todo o grupo político do prefeito Célio Silveira. Segundo Roriz a Justiça eleitoral e sua idade avançada não serão empecilhos a sua candidatura e, que vai trabalhar, para unir todo o grupo do prefeito em torno de seu nome. Roriz disse também que pretende encerrar a carreira política como vereador de sua cidade. O filho mais ilustre de Luziânia tem uma extensa carreira política que teve início como vereador, depois deputado estadual, deputado federal, senador da República, vice-governador de Goiás, prefeito de Goiânia, Ministro da Agricultura, governador nomeado do Distrito Federal e governador eleito em três mandatos para o Distrito Federal. Veja entrevista com Joaquim Domingos Roriz:

– O Senhor quer ser, realmente, prefeito de Luziânia?
Joaquim Roriz – Já passei por todos os cargos políticos, mas em nenhum deles tive um projeto pré-estabelecido. Depois de uma longa vida pública e sempre pensando em fazer o bem comum, numa conversa de varanda (informal), a conversa se espalhou com os jornalistas e hoje meu nome está aí para ser prefeito de Luziânia. Nunca perdi eleição por isso me sinto encorajado para qualquer missão. Se tiver essa oportunidade de ser candidato a prefeito vou me sentir muito orgulhoso.

– O seu nome tem a aprovação do governador Marconi Perillo e do prefeito Célio Silveira, mas também tem alguns políticos contra. Como o Senhor vê isso?
Joaquim Roriz – Vejo com naturalidade. Todo Ser humano é essencialmente político e às vezes toma a posição que se acha mais confortável. As vezes a unanimidade não é tão importante assim.
– Como o Senhor pretende unir todos em torno de seu nome?
Joaquim Roriz – Aí entra o trabalho de entendimento. Você tem que honrar suas palavras e vou honra as minhas. Vou ajudar as pessoas que mais precisam. A vida pública só tem sentido se agente fizer o bem.
– O que o Senhor pretende fazer como prefeito de Luziânia?
Joaquim Roriz – Luziânia foi muito feliz de ter um prefeito como Célio Silveira, um homem capaz, um político empreendedor. Luziânia vive, hoje, outro momento e a cidade está desenvolvida. Agora chegou o momento dos grandes projetos.
– O Senhor será o prefeito de grandes obras ao estilo Célio Silveira?
Joaquim Roriz – A minha primeira grande obra será resolver o problema do transporte de Luziânia a Brasília, porque a BR-040 está estrangulada. Antigamente eu fazia esse trajeto em meia hora, hoje, levo quase duas horas. Vou trabalhar também para que o aeroporto de Luziânia se torne auxiliar ao de Brasília e possa receber grandes aeronaves, além de incentivo ao setor industrial e outros projetos modernos.

– O Senhor pretende encerrar a carreira política como prefeito de Luziânia?
Joaquim Roriz – Se dependesse da minha vontade, não, quem sabe como vereador em Luziânia. Ser prefeito da minha cidade natal é o coroamento da minha vida pública. Mas é muito difícil encerrar a política e, eu ainda, quero trabalhar para promover uma vida melhor para as pessoas.
– Para ser candidato é preciso estar liberado pela Justiça eleitoral. O Senhor renunciou ao Senado, não está inelegível?
Joaquim Roriz – Não cheguei a perder a minha candidatura. Resolvi renunciar por questões pessoais porque não me senti confortável e, na época, a lei me dava todo esse direito. A gente entende que a Justiça eleitoral é formada de homens íntegros e homens corretos.
– Então, o Tribunal Superior Eleitoral não será empecilho a sua candidatura em Luziânia?
Joaquim Roriz – Espero que não. Claro que serei candidato somente após registrar a minha candidatura. Não vou desistir, é um assunto que vou resolver com
tranqüilidade.

– E a idade avançada não será outro empecilho?
Joaquim Roriz – Isso não quer dizer nada (risos). Hoje a gente administra qualquer empresa e até o País de dentro de um gabinete. Portanto, para se fazer uma boa administração não se precisa de muito esforço físico. De maneira que estou muito tranqüilo com os apoios e as manifestações de carinho que tenho recebido em meu favor.

– Agora para encerrar. Como o senhor analisa a questão da fidelidade que terá ao grupo do prefeito Célio Silveira?
Joaquim Roriz – Claro que serei fiel. A forma ainda será discutida, mas serei solidário ao prefeito Célio Silveira e ao governador Marconi Perillo. Jamais farei oposição a esse grupo.
Do Jornal “O Reporter” com informações do Blog do Donny Silva.

1 Comment

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: