Secretário de Desenvolvimento Econômico faz visita ao Pro-DF da Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Preocupado com a situação de indefinição dos micro empresários da Área Econômica de Desenvolvimento (ADE/Pró/DF), na Ceilândia, o deputado Chico Vigilante levou  secretário de Desenvolvimento Econômico, Gutemberg Uchôa, para uma visita ao empresários nesse sábado (2). Junto com eles, o administrador regional de Ceilândia, Ary de Almeida, além de técnicos da Secretaria, da Administração Regional e uma representante da Associação dos micro empresários do setor, Eliane Costa. O intuito foi fazer, conforme explicou Chico, um diagnóstico real da situação gravíssima dos empresários.


A comitiva andou por todo a área do Pro-DF, no P-Sul, onde conversaram com os empresários, escutaram relatos emocionantes de gente que investiu tudo o que tinha no sonho de ser autônomo e viu tudo cair por terra. São cerca de 100 lotes.

A área é completamente irregular e está dentro da chamada Ari e JK. Os lotes fo5am entregues em gestões passadas com promessas de fomento e incremento do comércio no setor, além de total regularização. Promessa que não foi cumprida e hoje os empresários estão ás moscas no local. “O que fizeram com essas pessoas foi uma grande irresponsabilidade. Eles estão dentro da Área de Relevante Interesse Ecológico”, observa o deputado Chico Vigilante.

A visita do secretário ao local, explica Chico Vigilante, é buscar uma forma de regularização para o setor, de modo a dar segurança jurídica para os empresários, para que o governo possa levar obras de infraestrutura e equipamentos públicos de fomento para o comércio e melhorar a vida de todos.

Ficou acertado que a Administração Regional com o apoio da representante da Associação vai cadastrar todos os empresários do local e formar os processos, que serão encaminhados à SDE De acordo com o secretário, uma vez montados esses processos, com a documentação correta, a Secretária encontrará mecanismos legais de regularizar a situação dos pequenos e micros do setor. 

Modelo que deu certo
A comitiva também foi ao Setor de Indústrias, no lado norte da Cidade, próxima à expansão do Setor O, onde puderam visitar dois exemplos de empreendimento que deram super certo: a Estrela Distribuidora e a fábrica de panificação Lá Bambina.

A distribuidora está localizada em uma área de 20 mil m², com ocupação de 10 mil m² de construção. A empresa atende nove estados, entre nordeste, norte e centro-oeste, além do DF e emprega diretamente 320 funcionários, além de 223 representantes comerciais e o tele-marketing. A empresa dispõe, inclusive de uma área de estoque gigantesco. O porte da empresa surpreende. Quem passa pelo local não imagina que a na Ceilândia exista algo equivalente. 
Dois dos três sócios – diretores da empresa apresentaram as dependências da distribuidora para a comitiva. Um deles, Branco Edis do Amaral, explicou que, no caso deles, estão com a regularização quase concluída.  

Ao lado da distribuidora, a fábrica de panificação Lá Bambina chama a atenção também pelo tamanho. A fábrica exporta para o DF, o entorno e o estado de Goiás.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: