Segurança bate recorde histórico na apreensão de armas e drogas

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Atuando de forma integrada, polícias prenderam mais de 11, 5 mil criminosos e apreenderam 2,5 mil armas
A integração entre as forças policiais do Distrito Federal resultou em um recorde de prisões e apreensões de drogas e armas, no ano passado. Juntas, as policias Militar e Civil prenderam 11,5 mil pessoas, média de 31 suspeitos presos por dia.

O número registrado pela Secretaria de Segurança superou o número contabilizado em 2011, quando foram registradas 10,7 mil prisões. Operações coordenadas pela Polícia Civil somadas ao policiamento ostensivo da Polícia Militar tiraram de circulação 2,2 toneladas de maconha e 498 quilos de cocaína.

Atuando de forma integrada sob a orientação do Programa Ação Pela Vida, as forças de segurança também alcançaram números expressivos quando o assunto é apreensão de armas. Foram 2,5 mil armamentos apreendidos, entre revólveres, pistolas e fuzis. A média foi de sete armas apreendidas por dia em alguma das cidades do DF.  
Apesar de o DF ter hoje uma  uma frota de 1,4 milhão de veículos, após aumento de mais de 50% nos últimos seis anos, investigações coordenadas pelos setores de inteligência das polícias, em parceria com o planejamento operacional das ações comandadas pela PM resultaram no maior índice do País no que diz respeito à localização de veículos roubados ou furtados. No decorrer de todo o ano passado, 7.336 carros que estavam nas mãos de criminosos foram recuperados pela polícia.
Outro dado consolidado em 2012 chamou a atenção das autoridades. Adolescentes apontados como autores de atos infracionais análogos a crimes graves como homicídios, latrocínios e roubos com restrição de liberdade da vítima – o chamado sequestro relâmpago –, também foram alvo de operações policiais. Um total de 7.366 jovens foram apreendidos e levados para alguma das unidades de aplicação de medida socioeducativa entre janeiro e dezembro do ano passado.
Números em queda
A produtividade policial registrada desde o início do Programa Ação Pela Vida – implantado em 20 de abril de 2012 –, provocou a redução de todas as naturezas criminais quando os últimos oito meses do ano passado são comparados com o mesmo período de 2011.
Segundo o secretário de segurança Sandro Avelar, a produção policial serve como uma espécie de termômetro para medir a incidência criminal nas regiões administrativas. “Nunca na história do Distrito Federal se prendeu tantos criminosos em um período de apenas um ano. Conseguimos retirar de circulação uma quantidade impressionante de armas, que poderia ter sido usada para cometer algum homicídio. Os números representam um esforço conjunto entre todas as quatro forças que formam a segurança pública do DF”, destacou o secretário.
Transparência
Em janeiro deste ano, os números relacionados a crimes que atentam contra a vida continuam em queda. Em 2011, o DF registrou 56 mortes violentas, contra 48 em janeiro do ano passado. O mês de janeiro de 2013 fecha com 47 casos. “É importante destacar que foi estipulado pelo programa que os delegados regionais e os comandantes de cada uma das quatro Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP) precisam cumprir metas. A cada mês os resultados são apresentados em uma plenária com o governador Agnelo Queiroz”, lembrou o secretário de segurança.

Imagem: Web

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: