Sindicalistas fecham apoio para reeleição de Agnelo.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp


Café da manhã reuniu ontem, no Sindicato dos Bancários, a principal corrente do PT brasiliense, a Articulação-Unidade na Luta. Estavam lá os principais dirigentes sindicais do Distrito Federal, representando categorias como os bancários, rodoviários, comerciários, vigilantes e assim por diante, além do presidente regional da CUT e de parlamentares, como o líder da bancada petista na Câmara Legislativa, Chico Vigilante. Decidiu-se fechar questão em torno da reeleição do governador Agnelo Queiroz. Acertou-se ainda que Agnelo se reunirá com os sindicalistas nos próximos dias, para uma exposição sobre seu governo.

Negociação entre as correntes petistas

Se os sindicalistas estão pacificados em torno de Agnelo, o mesmo não ocorre na sucessão interna do PT. Está em curso uma negociação para que todas as correntes petistas, inclusive a Articulação, fechem questão em torno de um nome para a presidência regional. A exceção ficaria por conta da corrente Construindo um Novo Brasil-DF, que hoje tem maioria na executiva brasiliense e tenderia a apoiar a reeleição do atual presidente, Roberto Policarpo.
Limitação para reeleitos

Surge aí um complicador. A executiva nacional do PT, com aval do ex-presidente Lula, tende a determinar que o presidente nacional não poderá concorrer a mandatos eletivos. A decisão valeria já para o presidente nacional Rui Falcão, candidato à reeleição em novembro. Hoje deputado estadual por São Paulo, Rui Falcão não disputaria a eleição de 2014. Fala-se na possibilidade e que a medida se estenda aos diretórios regionais. O objetivo é evitar conflito de responsabilidades.  No DF, Roberto Policarpo é deputado federal.


Só para o plano federal


Policarpo acredita que a limitação possa até ser aprovada, mas valeria apenas para o plano nacional, em que o presidente precisa acompanhar eleições em todo o País. No plano regional, não se deve adotar norma como essa. Seria o sacrifício de lideranças. Ele próprio já comunicou à direção nacional que é candidato à reeleição – tanto à presidência brasiliense do partido quanto a deputado federal.
Eduardo Brito

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: