Sindicatos se reúnem e preparam greve no DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Sindicatos ligados ao Movimento Unificado em Defesa do Serviço Público do Distrito Federal e ao Fórum de Defesa do Serviço Público do DF se reúnem esta tarde na sede do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico-DF), para avaliar o encontro e definir posição única para a reunião que será realizada na próxima segunda-feira. Depois do encontro, Gutemberg Fialho, pelos independentes ligados ao Movimento; e Rodrigo Rodrigues, pelos que são ligados ao Fórum da CUT; falarão à imprensa, às 17h30.

A reunião do governador Rodrigo Rollemberg com dirigentes sindicais, na tarde desta segunda-feira, restringiu-se, mais uma vez, à apresentação de números e do argumento da dívida herdada da gestão anterior. Não houve proposta ou compromisso concreto com os representantes dos servidores. Para aumentar o desagrado, a equipe do governador deixou de fora dos três encontros realizados na tarde de ontem os representantes dos servidores do Detran, da carreira de apoio à atividade policial, da assistência social e cultural, odontologistas, arquitetos e engenheiros da Administração Direta.
Vários sindicatos, como o SindMédico-DF, já realizaram assembleias nas quais foi aprovado o estado de greve, que deve ser deflagrada no quinto dia útil de outubro, quando o governo é obrigado por lei a pagar os reajustes que passaram a vigorar no dia 1º de setembro.
A postura assumida pelo governo Rollemberg desde os primeiros dias da gestão foi refratária ao diálogo com os sindicatos, desrespeitosa ao Regime Jurídico aos Servidores Públicos do DF (LC 840/2011), desagregadora e impopular ao propor medidas como a criação da previdência suplementar do servidor público, quem em nada ajuda a recompor os cofres públicos e que impacta negativamente novos servidores que venham a ser contratados.
Caso o governo não apresente proposta aceitável, os sindicatos dos servidores estão prontos para buscar na Justiça a garantia dos direitos estabelecidos e, se necessário, deflagrar greve geral. Os médicos aprovaram a greve, a partir do dia 7 de outubro (quando deve ser pago o salário de setembro), em assembleia realizada no dia 27 de julho.
SindMédicos

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: