Sinpol se reúne com representantes sindicais em Taguatinga.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O Sinpol se reuniu na tarde desta quarta-feira (8), na filial do Sindicato em Taguatinga, com os representantes sindicais de base que atuam em nome dos servidores das delegacias da Área Integrada de Segurança Pública Oeste, sendo elas: Taguatinga, Vicente Pires, Ceilândia, Brazlândia e Samambaia.
O objetivo da reunião foi

informar aos representantes as situações em que se encontram os pleitos da categoria por meio de uma conversa mais informal para que todos pudessem expor suas sugestões de modo mais claro.

“Com reuniões setoriais, podemos debater vários assuntos e aprofundá-los, pois com menos pessoas, todos terão mais tempo para explanar suas ideias de modo amplo e irrestrito. Outras reuniões setoriais serão agendadas em breve, de forma que os representantes sindicais possam levar informações oficiais do Sindicato aos filiados”, explicou o presidente do Sinpol Ciro de Freitas.
Durante o encontro, foram discutidos os principais pleitos dos policiais civis, como o PLP 554 que trata da aposentadoria diferenciada. Neste sentido, foi informado que o Sinpol tem lutado para que seja mantida a integralidade e paridade e ainda que conte como tempo estritamente policial os anos servidos no Corpo de Bombeiro Militar.
Na reunião também foi amplamente debatida a situação dos pleitos acordados com o GDF na última assembleia da categoria, quando foi aceita a implementação do reajuste salarial de 15,8%, o aumento do quadro, a renomeação do cargo de agente penitenciário e o reconhecimento dos cargos da PCDF como de nível superior, além do plano de saúde subsidiado nos mesmos moldes dos servidores federais.
O vice-presidente do Sinpol Luciano Marinho, disse que embora a categoria tenha feito um acordo com o GDF, outros dois pleitos já foram implementados, cabendo ao Sinpol continuar cobrando para que a renomeação do cargo de agente penitenciário e reconhecimento de nível superior sejam concluídos.
 “Estamos cobrando para que o governo encaminhe esses projetos à Casa Civil o mais rápido possível, pois quando chegar ao Congresso Nacional é a hora de usarmos a mesma pressão política que utilizamos para a implementação do aumento do quadro e do reajuste. Se isso não acontecer ou tiver um atraso muito grande, o Sindicato vai convocar a categoria para que os movimentos sejam retomados”, explicou Marinho. Ele completou que o Sinpol só vai considerar que os pleitos foram atendidos na integralidade quando todos os projetos inclusos no acordo forem totalizados em forma de Lei.
Outros assuntos explicados na reunião foram a solicitação da criação do Fundo de Saúde e assistência médico-hospitalar no âmbito da PCDF,  uma vez que proporcionará melhor qualidade de vida aos Policiais Civis e familiares, para ampliar o atendimento da Policlínica e cria possibilidade na confecção de convênios com clínicas de apoio psicológico e que necessite de internação.
“Quanto ao plano de saúde subsidiado, o governador já autorizou a edição da portaria que estabelece o benefício aos policiais a partir de primeiro de julho e a seus dependentes que passarão a ser incluídos em primeiro de dezembro de 2013”, ressaltou o segundo vice-presidente André Rizzo.
O deputado Wellington Luiz, que também participou da reunião, pediu aos representantes sindicais para confiarem no trabalho realizado pelo Sinpol, “pois a demora na efetivação de alguns pleitos não é culpa do Sindicato e muito menos da categoria. É um processo burocrático e complexo, mas tudo indica que os policiais vão alcançar essas conquistas e, repito, vocês podem sempre contar com meu apoio”, enfatizou Wellington.
Vários outros assuntos, levados pelos representantes sindicais, foram debatidos na reunião e, ao final, o presidente do Sinpol Ciro de Freitas informou ainda que o Sinpol já solicitou à direção-geral que as exigências que dizem respeito à uniformes e demais peças de vestuários utilizados na Academia de Polícia, plantões de delegacias e operações policiais, sejam providos integralmente pela instituição.
“É importante que a categoria saiba que o Sindicato está atento a tudo que afeta o policial civil e lutamos diuturnamente para que os direitos e garantias prevaleçam”, finalizou Ciro.
Sinpol/DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: