Sistema ultrapassado do BRB causa paralisações. Correntistas reclamam dos transtornos e caos

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Sistema ultrapassado do BRB causa paralisações. Correntistas reclamam dos transtornos e caos(foto: reprodução)

Por Nayara Ribeiro / Guardian Notícias – Em pleno dezembro, mês em que o comércio local está extremamente aquecido em razão das festas natalinas, grande parte da população do DF que tem no BRB o seu único banco para movimentar suas finanças, tem passado o maior aperto na hora de realizar suas compras e honrar seus compromissos.

Após o Guardian Notícias receber várias reclamações de usuários do Banco de Brasília (BRB), a redação resolveu investigar o porquê do sistema que dá suporte as agências e as conveniências do Distrito Federal, se encontrar fora do ar desde a última quinta-feira, 5.
Atualmente, o BRB é anunciado como um banco público voltado ao crescimento econômico e ao desenvolvimento sustentável do DF e regiões de influência, com soluções inovadoras e atendimento com excelência, no entanto, pelos incontáveis problemas apresentados, isso tudo parece ser propaganda enganosa. Os correntistas do banco já tem todo direito de duvidar das promessas dessas inovações tecnológicas.
A insatisfação da grande clientela do banco tem sido a tônica. Segundo alguns clientes consultados, o sistema do banco chega a ficar dias comprometido, prejudicando a vida de pessoas e empresas, que por muitas vezes deixam até de honrar seus compromissos em dia, o que vêm acarretar a incidência de juros e multas. Os transtornos são de toda ordem, principalmente o prejuízo financeiro.
Depoimento: Insatisfeita, W.R.Lé cliente antiga do Brb e explica que com a criação dos BRB Conveniências chegou a acreditar que, na prática, a comunidade pudesse gozar das facilidades da ampliação da rede de atendimento, entretanto, a decepção tem sido grande.essas. “Se dobrarmos uma esquina já avistamos uma conveniência de fácil acesso para todos. Mas, com o sistema lento e a fila imensa, a situação já complica. Para quem precisa sacar dinheiro e pagar conta, é melhor esperar sentado”, ressalta.
De acordo com W. a direção do BRB deveria ficar mais atenta a esses problemas, que causam um grande transtorno para as pessoas que utilizam o banco por 24h. “Tendo um sistema mais eficaz e inovador que não dê problemas, o banco permanecerá agilizando e facilitando a vida das pessoas, sem nenhuma dificuldade.  Do jeito que está já estou pensando seriamente em tirar minha conta do banco”, conclui.

Explicações: Procurado pelo Guardian Notícias, o BrB explicou por meio de sua assessoria de imprensa que o banco informa a seus clientes e a comunidade que a instabilidade do seu sistema que vem ocorrendo, nos últimos dias, é decorrente de mudanças tecnológicas, notadamente a implantação da Solução Multicanal, visando a utilização de novos canais, mais modernos e robustos, que permitirão melhor atender à comunidade brasiliense e seus clientes.
Todos os esforços estão sendo feitos para que o sistema volte a funcionar o mais rápido possível. Mais orientações pelo telefone: 0800.6486161.
Análise: O mais estranho dessa situação, é que o sistema fica lento todos os meses e a pane se dá somente na época de pagamento dos órgãos do GDF. Será coincidência ou urucubaca mesmo?
Nessa brincadeira de sistema lento e longas filas, é que os donos de conveniências chegam a perder cerca de R$ 10 mil mensalmente.
Prejuízo maior sofre a comunidade, que para todo tipo de transação bancária, desde uma simples emissão de extrato até a contratação de empréstimos, paga taxas absurdamente caras, quando não inexplicáveis, e ainda por cima é obrigada a conviver com freqüentes e injustificáveis panes no sistema do banco dos brasilienses.
Por enquanto, o que se vê, a despeito da sua grande massa de trabalhadores esforçados, é que o BRB bom e eficiente só é aquele estampado nas caríssimas campanhas publicitárias.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: