Suplente de Rollemberg nega acusação de pedofilia e promete defender a família no Senado

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Com Rodrigo Rollemberg (PSB) eleito governador do Distrito Federal, Hélio José da Silva Lima (PSD) se tornará senador federal a partir do dia 1º de janeiro. Agora filiado ao PSD, Hélio é sindicalista e ex-dirigente do PT (Partido dos Trabalhadores). Em 2010, foi acusado de abusar sexualmente de uma sobrinha e, na época, Rodrigo Rollemberg chegou a pedir que os fatos fossem apurados. Quatro anos depois, o político continuou na suplência e continua a negar as acusações.

Em entrevista ao R7 DF, Hélio José, também conhecido como “Gambiarra”, garantiu que o crime “nunca aconteceu” e que se trata de uma denúncia vazia de seus adversários político.
— Isso não passou de uma trapalhada de alguns setores ligados ao PT que, na época, queriam passar minha vaga de primeiro suplente de senador para um milionário do ramo neoquímico. O Ministério Público e o Tribunal de Justiça do DF já arquivaram o caso.
O assunto foi tema central de vários debates entre os candidatos ao governo do DF. Em diversos momentos, Rollemberg foi posto contra a parede por seu concorrente nas eleições, Jofran Frejat (PR), e questionado se permitiria que Hélio assumisse sua vaga no Congresso Nacional. Agora, Hélio promete processar o ex-candidato por calúnia.
— Eu estou hoje com sete processos contra o Frejat por denunciação caluniosa, crime previsto na Constituição Federal e pode dar de três a sete anos de cadeia.
Como senador da República, Hélio Gambiarra promete defender os valores da família e diz que seu primeiro projeto vai ser para pedir a transformação da pedofilia em crime hediondo e uma punição mais firme para os que são acusados desse crime injustamente.
O futuro senador diz que não guarda mágoas de Rodrigo Rollemberg, que solicitou apuração das denúncias de pedofilia feitas contra ele. Para Hélio, qualquer cidadão no lugar de Rollemberg faria a mesma coisa.
— Quando o senador soube que o processo foi devidamente arquivado, nós não tivemos mais nenhum problema. Eu e Rollemberg temos uma relação respeitosa e espero que meu partido contribua para que ele faça o melhor governo possível.
Hélio José se candidatou para a Câmara Legislativa do DF neste ano, mas abandonou as eleições sem fazer campanha e acabou recebendo apenas seis votos. Segundo ele, isso aconteceu porque seu partido resolveu se coligar ao PSB do senador Rodrigo Rollemberg e sua candidatura acabou ficando em segundo plano.
— A gente passou a fazer uma atuação muito maior em prol da eleição do senador Rollemberg e do vice-governador Renato Santana do que da minha própria candidatura, que ficou em segundo plano. Eu tive que fazer uma escolha, mas não abandonei minha candidatura, só me dediquei muito mais a candidatura de nosso governador.
O secretário de comunicação do PT, Sandoval de Jesus, foi procurado para comentar o caso mas não retornou às ligações até a publicação desta matéria.
Do portal R7

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: