Terminal rodoviário do Setor P Norte em Ceilândia é finalmente demolido

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


antigo terminal de ônibus do Setor P Norte, em Ceilândia,
está finalmente sendo demolido. A ação começou nesta quarta-feira (23) e deve terminar amanha (24). Segundo a administração da cidade,
dois tratores para demolição e dois caminhões para retirada do entulho farão o
trabalho até o fim do dia. Desde as 11h a estrutura passa pela derrubada, que
começou pelos banheiros e área administrativa. Um estacionamento deve ser
construído no local.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Desde a desativação, em fevereiro deste ano, o terminal virou ponto
de drogas e de circulação de moradores de rua, com cacos de vidro pelo chão
esburacado, sapatos largados, roupas sujas e fiação de energia solta. A
Secretaria de Mobilidade é a responsável pelo terreno.

A interrupção
das operações aconteceu porque o local estava em condições inadequadas de uso.
E estava programada a desativação em função da inauguração do terminal da QNR e
da reforma do terminal do Setor O,  explicou o Transporte Urbano (DFTrans). 


Assim, duas linhas foram remanejadas para o terminal do Setor O, e nove
para o da QNR. 

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) tem realizado a limpeza
frequente próximo ao local, tais como no estacionamento e na praça da Bíblia. O
entulho próximo a área será retirado ainda esta semana, informou a
Administração de Ceilândia. 


A pasta alega que não há prejuízo aos usuários. Mas
a realidade é diferente, como o 
Jornal de Brasília apurou.
Prejudicados

Moradora do P Norte, Bruna Almeida, 19 anos, pegava
ônibus no terminal. Agora, aguarda na parada da praça. 

Os ônibus estão
demorando cerca de 40 minutos. Quando eu passava perto, podia utilizar o
banheiro e beber água. Agora, vejo usuários de droga e traficantes com
frequência, denuncia o estudante.


Quando o terminal funcionava, o estudante da UnB de
Ceilândia João Victor de Souza, 18 anos, já sabia o horário que pegaria a
condução. 

O ritmo mudou. Agora, demoro até uma hora para pegar meu ônibus para
a UnB. Ficou perigoso. Não tem tido ronda aqui, relata o estudante. 


O comércio em frente também tem enfrentado
dificuldades diante do abandono. Ronaldo Retz, 50 anos, é dono de um lava a
jato. Com a situação atual, ele perdeu metade dos clientes.

1 Comment

  • Avatar
    Cleudo DiJesus , 24 de Maio de 2018 @ 11:10

    Um absurdo fizeram um investimento com nosso dinheiro e ao invés de manter o terminal funcionando para o atendimento a ppopulaçã do setor P Norte simplesmente derrubam "Os Ónibus que a população pegam no P norte já vem super lotado!!!

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: