Trabalhadores terceirizados nas escolas publica do DF vão parar na próxima segunda-feira

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Cerca de mil e quinhentas merendeiras e quase quatro mil auxiliares de
serviços gerais prestadores de serviços principalmente nas escolas publicas do
Governo do Distrito Federal (GDF), a partir da próxima segunda feira (14/09),
vão paralisar suas atividades por tempo indeterminado, até que o salário do mês
de agosto – deveria ter sido pago no quinto dia útil (08/09), pelas empresas
contratadas pelo GDF, sejam pagos.


As empresas G & E Serviços Terceirizados, Planalto Service, Juiz de
Fora Serviços Gerais, Real JG Serviços e Servegel Apoio Administrativo
contratadas pela Secretaria de Estado da Educação (SEE) e a Secretaria de
Estado de Planejamento e Orçamento (Seplan), já foram comunicadas com 72 horas
de antecedência, conforme determina a lei da greve.

O diretor de Comunicação e Imprensa do Sindiserviços-DF, sindicato que
representa a categoria, Antonio de Pádua Lemos, disse que só não haverá greve
se até a meia noite de hoje ou no final de semana o dinheiro estrar na conta
dos trabalhadores.

Lamentou que mais uma vez o trabalhador terceirizado no GDF será
prejudicado e terá que pagar suas contas com atraso, sem que patrões ou o
próprio GDF assumam o pagamento dos juros financeiros.

Também lamentou os prejuízos irreparáveis que o atraso provoca na
manutenção alimentar e na saúde dos trabalhadores e seus familiares
respectivamente.

Alguns patrões costumam alegar para querer tirar a responsabilidade dos
ombros, disse a presidente do Sindiserviços-DF Maria Isabel Caetano dos Rei,
que a falta do pagamento das repactuações referentes aos reajustes dos
vencimentos do ano passado e atrasos no recebimento das parcelas contratuais
devidas pelo GDF.

Ela destaca com veemência que tal explicação não procede, pois os
trabalhadores não são empregados do GDF, são empregados deles e é quem tem
total responsabilidade com as obrigações trabalhistas.

Para ela, por lei, os empresários não podem repassar os riscos e os ônus
da atividade empresarial para prejudicar os trabalhadores.
Audiência Publica
Na próxima terça-feira (15/09), a partir das 10 horas, na Câmara
Legislativa do Distrito Federal (CLDF), mesmo que os salários saiam antes, os
trabalhadores terceirizados nas empresas contratadas pelo GDF estão se
mobilizando para lotarem o plenário e a galeria da CLDF para participarem da
audiência publica proposta pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT/DF).

Na audiência, que tem confirmada as presenças dos representantes das
Secretarias de Fazenda e de Planejamento, Orçamento e Gestão do Governo do
Distrito Federal (GDF), eles tentarão explica a situação do pagamento dos
serviços terceirizados no âmbito do governo.

Representantes do Ministério do Trabalho e Emprego
(MTE), da Superintendência Regional do Trabalho/DF, Ministério Público do
Trabalho da 10ª Região (MPT – 10ª Região), Tribunal Regional do Trabalho do DF
(TRT/DF),  juristas, diretores do Sindiserviços-DF, sindicalistas
CUTistas, etic., vão exigir respostas concretas sobre os constantes atrasos de
salários, benefícios, quitação de dívidas trabalhista, falta de pagamento dos
reajustes salariais e do aumento do tíquete alimentação, conforme determina a
Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria, a Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT) e a própria Lei 8.666/93 (leia das licitações publicas).

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: