UnB-Ceilândia implanta projeto para melhorar comunidade de Catadores.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os alunos da Universidade de Brasília, Campus Ceilândia, e da Universidade Católica de Brasília realizaram uma visita na manhã de sábado, 21, à usina de lixo de Ceilândia. O intuito da visita foi entender o mundo dos catadores de lixo, suas vidas, crenças e valores, além de engaja-se em um projeto de coleta seletiva solidária na Faculdade de Ceilândia (UnB) e na comunidade da área adstrita.

Segundo a professora Adjunta da Universidade de Brasília, dra. Vanessa Resende Nogueira Cruvinel, coordenadora do projeto – Pare, pense, descarte – além de dar consciência da coleta seletiva solidária, o projeto pretende incentivar a participação dos universitários em projetos socioambientais e despertar a responsabilidade socioambiental individual e coletiva sobre o lixo aos universitários e escolares, professores, pessoal administrativo, profissionais de saúde, comerciantes e população em geral.
O projeto, que tem a participação de oito docentes da FCEUnB de diferentes áreas de conhecimento, visa ainda fortalecer a autonomia e geração de renda para os catadores de recicláveis, mapear e identificar demandas dos catadores, realizar oficinas de capacitação na área entre outras ações para o crescimento e valorização, desenvolver linhas de ação com os catadores no âmbito da saúde do trabalhador entre outras ações fundamentais para valorização do catador de resíduos recicláveis.
O projeto Pare, pense, descarte atuará em três eixos: Implantação da coleta seletiva solidária na Faculdade da Ceilância (UnB), Implementação da coleta seletiva solidária com a população de Ceilândia e Identificar e desenvolver linhas de ações com os trabalhadores das cooperativas e associações da Ceilândia.
A Usina de Tratamento de Lixo de Samambaia, situada às margens da via P5 no Setor P Sul na Ceilândia DF, foi inaugurada em 1986 e funciona em três turnos em todas as etapas de separação e recolhimento de materiais recicláveis: papéis, plásticos, vidros, metais e orgânicos, previamente separados na fonte geradora e que podem ser reutilizados ou reciclados. O processo de tratamento (TRIGA) é de tecnologia francesa e tem capacidade nominal de tratamento de 600 toneladas/dia, porém está processando na faixa de 200 a 250 toneladas/dia.

Parceria para fortalecimento do projeto

Na terça, 17, a coordenadora do projeto dra. Vanessa Cruvinel, doutora em Ciências da Saúde, esteve presente à reunião do Rotary Clube de Taguatinga para uma palestra sobre o assunto e aproveitou a ocasião para solicitar o engajamento do clube neste projeto, prontamente atendido pela presidente do clube Laura Nugoli, que juntamente com os rotarianos Genessy Lima e Getulio Romão, estiveram, juntamente com estudantes, presentes à visita na Usina de Lixo de Ceilândia.

No próximo sábado, 28, professores, alunos da UnB e da Universidade Católica de Brasília e membros do Rotary Clube de Taguatinga realizam uma nova visita à usina, quando será aplicado um questionário para diagnóstico situacional.
No dia 5 de outubro, todos que participaram da visita do dia 28, retornarão para o encerramento das atividades com uma oficina de saúde cujos temas serão, doenças crônicas, diabetes, hipertensão e saúde bucal que será destinado aos 88 cooperados e suas famílias. As crianças terão atividade recreativa.
Informou Gazeta de Taguatinga / Foto: Getúlio Romão

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: