Viagens de Agnelo provocam polêmica entre os distritais

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Foto: Divulgação - Arquivo Notibras
O tema das viagens oficiais do governador Agnelo Queiroz voltou a ser discutido nesta quarta-feira 13, no plenário da Câmara Legislativa. O deputado Chico Vigilante (PT) trouxe uma relação de viagens realizadas pelo ex-governador José Roberto Arruda durante o período em que esteve à frente do GDF e comparou os números com os da atual gestão.
“Arruda viajou 24 vezes em um ano, 21 vezes em outro ano e todos os trajetos foram feitos em aeronave alugada. Agnelo, por outro lado, sempre viajou em avião de carreira e toda sua comitiva paga as despesas com dinheiro do próprio bolso”, frisou Vigilante.

A deputada oposicionista Celina Leão (PDT) discordou dos argumentos do governista. “Fazer comparação com outros governos não é a resposta que a sociedade espera. Quer dizer que as viagens de Agnelo estão justificadas somente porque o governador anterior também viajava muito? Isso não parece política do novo caminho”, rebateu.
A distrital também pôs em questão a importância da realização de grandes eventos esportivos no DF, como a Universíade, que é apontada pelos governistas como resultado das viagens oficiais do governador.
“Soube de uma suposta doação da área do Jockey Club para construção de alojamentos para a Universíade. É preciso lembrar que Agnelo responde um inquérito por áreas doadas para a realização dos Jogos Panamericanos, quando ele era ministro dos Esportes. Que benefícios esses eventos estão deixando para o DF?”, questionou.
O deputado Wasny de Roure (PT) informou que a Câmara Legislativa entrou com uma arguição de descumprimento de preceito fundamental no Supremo Tribunal Federal para garantir a votação aberta no Legislativo local. “A nossa Lei Orgânica já prevê o fim do voto secreto desde 2006, por iniciativa pioneira do colega Chico Leite (PT). Mas, mesmo assim, o TJDFT decidiu recentemente suspender a votação aberta em processo de cassação de mandato. Essa é uma ação que já deveria ter sido feita, mas a peça jurídica demorou para ser finalizada. Vamos pedir à mais alta corte do país que garanta o direito de voto aberto em todos os casos”, defendeu.
O deputado Agaciel Maia (PTC) cobrou a regulamentação de uma lei de sua autoria que pune quem descarta lixo nas vias públicas do DF. “Se essa lei já estivesse regulamentada, teríamos muito menos problemas de entupimento de bocas-de-lobo nas cidades”, afirmou.
A deputada Arlete Sampaio (PT) comemorou a aprovação, nas comissões, de um projeto de sua autoria que estabelece o Código Sanitário do DF. “Hoje não há uma lei para defender a saúde pública no DF, apenas um decreto desatualizado de 1996. Várias capitais do país têm seus códigos sanitários e isso é muito importante para proteger a saúde dos consumidores”, disse.
Informou Notibrás

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: