Vigilante diz que governo Agnelo entrará 2012 sem nenhuma acusação.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Câmara Legislativa aprovou em primeiro e segundo grau na sessão ordinária desta quinta-feira (09/12) os reajustes do IPTU, PL nº 576/2011 e do IPVA, PLnº 622/2011. Mas a maior parte da sessão foi dominada pelo comunicado de líderes e o comunicado de parlamentares.
Na pauta do dia, a invasão do soldado João Dias ao Buriti e a prisão dele após agredir duas servidoras do Executivo e quebrar o dedo de um colega em serviço, crime pelo qual foi autuado, encaminhado à Corregedoria da PM e em seguida preso no Presídio Militar na Papuda.
 O deputado Chico Vigilante, líder do Bloco PT/PRB classificou toda esta situação como “um fato muito grave”. Para o deputado, a atitude de Dias tem um simbolismo de um governo sendo invadido, um atentado contra a democracia. O deputado destacou também a “covardia” do soldado ao agredir verbal e fisicamente duas funcionárias do secretário de Governo de Paulo Tadeu, Paula e Niedja. “Ele espancou e praticou crime de racismo, injúria e uma série de outros crimes contra a Paulinha”, disse Vigilante.
O deputado ressaltou que João Dias falou uma série de “irresponsabilidades” em seu depoimento na tentativa de incriminar o secretário Paulo Tadeu e o Coronel Leão da Casa Militar. “Mas tudo isso nos deixa muito tranquilos. Agora vamos tirar o DF a limpo. Agora  o governador Agnelo Queiroz entra 2012 sem nenhuma acusação”, disse o deputado. “Há mais de um ano que ele acusa fala em fitas contra o governador. Se elas não apareceram é porque não existem”, afirmou. 
Indignado, Chico Vigilante questionou: “Se ele é policial porque não prendeu os subornadores? Quer dizer que ele ficou com o dinheiro e 24 horas depois se arrependeu e resolveu entregar? Isso é querer zombar da nossa inteligência”, esbravejou o parlamentar.
O dinheiro atirado nas funcionárias do Executivo pelo policial sob a alegação de devolução está sendo periciado pela Polícia Civil para descobrir a origem, o banco onde foi sacado e quem está por trás da tentativa de incriminar o secretário Paulo Tadeu.
 “O crime organizado não vai capturar o governo que tem sustentação e uma base sólida na Câmara Legislativa formada por deputados que não se vendem”, afirmou Chico Vigilante. “Essa história tem dois lado. Quem quiser ficar do lado do crime que vá, mas quem quiser seguir o correto, venha para o lado do governador Agnelo  Queiroz pela redenção de Brasília”, afirmou.
Informações do Blog do Odir

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: